sexta-feira, março 02, 2007

O Triângulo da Discórdia


O Triângulo da Ramalha continua a fazer correr tinta, pelo menos em alguns blogues de Almada.

Há realmente coisas muito mal explicadas em todo este processo. Não tenho dúvidas que há no mínimo falta de transparência na explicação e resolução deste caso. Depois de ler esta notícia, apeteceu-me levantar algumas questões:

- Será que a Autarquia de Almada vai mesmo levar a sua teimosia até ao fim, fazendo valer os seus argumentos, contra os moradores da zona da Ramalha e o próprio estudo técnico efectuado pelo Governo?

- Há mesmo vários órgãos de comunicação social, a fazerem o jogo do Município?

- Se há, o que ganham com tudo isto?

8 comentários:

residente disse...

Aos moradores da Ramalha têm sido solicitadas informações mas na prática nada aparece, ultimamente, sobre os dados novos.Sobre estes chegou ao nosso conhecimento uma situação em foi posteriormente dito não se justificar publicá-los porque havia saído uma notícia recente sobre o Triângulo da Ramalha( embora não falasse nos mesmos).
Portanto temos de contiunuar a falar na existência de "indícios", "parece" e por razões óbvias não divulgar a origem do retorno que nos chega.
Continuaremos na blogosfera...e a aproveitar a disponibilidade da abertura que existe em alguns sítios e jornais "on line" disponíveis para falar do assunto.

Repórter disse...

As obras aproxima-se rapidamente do chamado triângulo da Ramalha, sem sinais de mudar de linha.
O que significará?

Não vale a pena pensar muito. Há sinais disto e daquilo. Mas, como o "residente" disse, não se pode passar do "parece" e dos "indícios".

Uma coisa é certa. A obra vai continuar e, na minha perspectiva, não vejo hipótese dos residentes mudarem de habitação.
Portanto...

Bom fim de semana.

residente disse...

Desistir e parar de denunciar é pactuar com a situação...é morrer.
Quando a razão está do nosso para para continuarmos de pé e chamar a atenção para a miséria intelectual de alguns falsos democratas, que servindo-se do voto do povo, estão a servir-se do povo, vivendo à sua conta!

residente disse...

Correcção do anterior "post":

QUANDO A RAZÃO ESTÁ DO NOSSO LADO PARA CONTINUARMOS... em vez de "Quando a razão está do nosso para para continuarmos..."

Repórter disse...

Permitam-me o uso do espaço para dizer ao "residente" que não discordei da luta. Antes pelo contrário.
Temos é que perceber a melhor altura e o local mais adequado para atacar.
Aqui, na Assembleia Municipal, na rua, na comunicação social.
Desistir é próprio dos fracos.
Um abraço

Luis Eme disse...

O "residente" foi bastante esclarecedor em relação aos "indícios" existentes... ainda bem que a blogosfera não deixa estas coisas cairem em saco roto.

Luis Eme disse...

Penso que o repórter quis dizer que os factos estavam a ultrapassar os protestos e a indignação dos moradores.

Há realmente muita frieza (para não lhe chamar outra coisa...) da nossa Autarquia.

Concerteza que ninguém vai desistir, principalmente quando sentem que têm razão. E as formas de luta estão longe de estarem esgotadas.

Repórter disse...

Nem mais, caro Luis. Nem mais.