sexta-feira, junho 23, 2017

"Almada em Festa"


Amanhã será inaugurada mais uma exposição de pintura na sede-galeria da SCALA, às 16 horas.

Desta vez alguns artistas scalanos aproveitam as Festas São Joaninas para festejar Almada...

quarta-feira, junho 21, 2017

A Cerâmica do Mártio


A exposição de artes plásticas, "Uma Vida a Pintar e a Sonhar", de Mártio, que está patente na sede da SCALA não se resume aos seus quadros (óleos, aguarelas, desenhos...), também mostra a obra gráfica e sobretudo os seus trabalhos de cerâmica.

Mártio escolheu divertir-se ao fazer bonecos de barro, na senda do grande Rafael Bordalo Pinheiro. Este seu Álvaro Cunhal é um bom exemplo da sua arte em cerâmica.

(Fotografia de Luís Eme)

sexta-feira, junho 16, 2017

Pluralidades


No próximo sábado às 16 horas será inaugurada na Oficina de Cultura de Almada a exposição de artes plásticas, "Pluralidades", com obras artísticas dos associados da Imargem, a Associação de Artistas Plásticos do Concelho de Almada.

É uma mostra de arte que vale sempre a pena visitar, pela qualidade e pela diversidade artística dos autores.

sexta-feira, junho 09, 2017

"Uma Vida a Pintar e a Sonhar"

Quem gosta de artes plásticas não deve perder a exposição de Mártio, que será inaugurada amanhã na sede da SCALA, às 16 horas.

Depois da inauguração da exposição, serão visionados quatro pequenos filmes sobre a obra do autor, que abrirão uma conversa aberta sobre o Mártio e sobre o mundo das artes, na qual também participarei.

quarta-feira, junho 07, 2017

A Cultura Cansa?


Começo logo por responder à questão que dá título a este pequeno texto: claro que sim, a Cultura pode cansar, como tudo o que é  "usado" ou "aplicado" em doses exageradas.

E Almada usa e abusa da cultura, e nota-se que em vez de conseguir reduzir a sua "carga" cultural, aumenta-a...

Talvez não exista solução para reduzir as actividades culturais "privadas" no Concelho, pelo menos as organizadas pelo movimento associativo (ou até por  pessoas singulares), que não tenham qualquer dependência com o chamado poder local. Embora exista a Associação das Colectividades do Concelho de Almada, esta continua longe de se afirmar como pólo de agregação e de comunicação no seio das associações concelhias...

Mas as organizadas pelo Município, poderiam (e deveriam...) ter um calendário adequado, sem que sejam programadas duas e três actividades interessantes, no mesmo dia e à mesma hora, deixando todos aqueles que gostam de cultura, sem saber o que fazer, qual a opção a tomar...

Eu pela minha parte, já fiz saber nas colectividades a que pertenço, que a aposta, tem de ser, cada vez mais, na qualidade. A prática diz-nos que não vale a pena fazer muitas coisas, se depois não se tem a aderência do público desejada...

Quem está no poder pode continuar a assobiar para o ar e a fazer "contas de multiplicação" na cultura, mas é péssimo percebermos que já há pessoas a deixarem de aparecer em exposições, lançamentos de livros, por causa do tal "cansaço"...

(Fotografia de Luís Eme)

domingo, junho 04, 2017

O Tejo Quase Transparente...

Hoje ao passear rente ao Tejo gostei muito de ver a água límpida do melhor rio do mundo. A maré estava quase cheia e via-se muito bem a areia e algumas pedras nas margens do Tejo.

Disse para "os meus botões" que já tinha tomado banho em várias praias de mar, bem mais sujas que a praia das Lavadeiras, no coração do Ginjal...

(Fotografia de Luís Eme)

segunda-feira, maio 29, 2017

As Quatro Estações...

Não, não vou falar da peça de Romeu Correia, mas sim desta segunda-feira, onde tivemos Outono, Inverno, Primavera e Verão, desde a manhã até ao final do dia. Algo que começa a ser comum no nosso país.

E a meio da tarde o céu voltou a ficar azul e a temperatura subiu, especialmente à beira do Tejo, com a maré a querer brincar às escondidas e a cobrir as praias do Ginjal.

Até houve quem aproveitasse para passear numa das embarcações típicas do rio mais bonito do mundo...

(Fotografia de Luís Eme)

sábado, maio 27, 2017

Uma Bela Surpresa


Ontem acabei por ter uma bela surpresa, no Centro de Documentação das Instituições Religiosas e da Família, por ver na assistência muitas pessoas que não conhecia, para além dos amigos, claro, que não nos deixam "desamparados" nestes momentos.

E nem vou falar de uma Amiga que veio de mais longe, e por ser de fora, andou perdida por Almada, encontrando a Capela da Ramalha, já próximo do fim. As surpresas, mesmo as boas, nem sempre correm da melhor maneira...

Apesar de ter cinco folhas com palavras, funcionaram mais como auxiliares, pois acabei por falar quase de improviso, prolongando até um pouco a palestra. Isso aconteceu pelo entusiasmo que fui sentindo, ao falar sobretudo do Romeu Correia (fiquei com a sensação de que falei mais dele e da sua obra que das Bibliotecas e da Cultura Almadense...), e também por descobrir interesse nos olhares da plateia...

Houve também algumas intervenções da plateia, que acabaram por enriquecer a sessão.

Um dos aspectos mais importantes que retive, foi ter conseguido despertar a curiosidade e o interesse pela obra teatral do Romeu, que penso ser a mais desconhecida da maior parte das pessoas.

(Fotografia de Mimi)

quarta-feira, maio 24, 2017

Romeu, Bibliotecas, Culturas...


O convite inicial foi para falar dos meus livros, com total liberdade. Acabei por decidir ir mais longe e falar de coisas mais abrangentes, sem me esquecer de que estamos no ano do Centenário do Romeu Correia.

É já na sexta.

segunda-feira, maio 22, 2017

As Cigarras, as Formigas e as Vespas...

Em contraponto com o que escrevi ontem, achei que também devia acrescentar aqui que o associativismo está longe de ser um "mundo de puros". Tal como a sociedade, também tem  o seu lado de "albergue espanhol", ou seja, as portas estão abertas para todo o tipo de gente, até mesmo para os oportunistas e para todos aqueles que pensam ser mais do que são (a culpa não é apenas dos espelhos mentirosos que têm em casa...), e que julgam encontrar muitas vezes nas colectividades um "palco" à sua medida...

Sei do que falo, e é graças a eles que em breve lhes acenarei com as mãos e deixarei o caminho livre. Talvez alguns ainda vão a tempo de perceber, de uma vez por todas, que a única coisa que costume cair do céu, é alguma chuva, e só de longe a longe, pelo menos neste nosso "paraíso" descoberto há meia dúzia de anos pelo mundo...

É também por isso que cada vez compreendo mais o meu amigo Orlando, que só quer que o deixem ser apenas quem é...

(Felizmente o Associativismo é um mundo livre e podemos sempre escolher e  recordar  as boas companhias, como fiz ontem...)

(Óleo de Paula Rego)

domingo, maio 21, 2017

O Associativismo Pode (e Deve) Ser uma Escola de Sabedoria e de Amizade...


A vida dá-nos a possibilidade de escolhermos o nosso caminho ao longo dos anos. É por isso que normalmente trilhamos as estradas que mais nos agradam, seja pela sua "paisagem envolvente", pelos "lugares para onde nos levam"  ou até pela "qualidade do piso".

Acontece o mesmo com as pessoas que nos rodeiam, quando se gera empatia de uma forma natural, a amizade acontece como se quer, despida de quaisqueres interesses.

Mesmo que não seja tempo de balanços, não esqueço que o Associativismo tem sido sobretudo uma escola de sabedoria e de amizade, talvez por ter tido a sorte de ser "levado à certa" por dois grandes mestres, o Henrique e o Fernando, que sempre me trataram como um igual, apesar de sermos de gerações diferentes.

Cresci muito com a simplicidade desta gente que se entregava a causas, apenas com o objectivo de fazer coisas, de dar o melhor de si. Coisas que além de lhe darem prazer, tinham como principal objectivo chegar aos outros. Tantos projectos colectivos e individuais em que não teria participado (livros, folhetos, exposições, espectáculos, homenagens, palestras, etc) sem esta marca almadense...

É por isso que digo que nestes já mais de vinte anos de ligação ao associativismo, foi uma sorte ter escolhido (e também ser escolhido...) a SCALA e a Incrível Almadense, como espaços colectivos de desenvolvimento cultural e de amizade. 

Hoje sei, e sinto, que a amizade acaba por ser o principal "farol" de tudo isto. Sei que seria muito mais pobre se não tivesse conhecido pessoas como o Henrique, o Fernando, o Diamantino, a Idalina, a Clara, a Gena, o Américo... e principalmente, o Carlos, o Chico e o Orlando...

(Óleo de Maxwell Gordon Lighfoot)

sábado, maio 20, 2017

Galeria de Rua no Centro de Almada

Hoje, entre as 10 e as 16 horas, a Praça S. João Baptista de Almada acolhe a Galeria de Rua, da "Arte em Festa", organizada pela Imargem, com o apoio de outras associações culturais do Concelho.


Já passei por lá de manhã e gostei bastante do que vi... Até os gatos da Aurora subiram as árvores da praça...

(Fotografias de Luís Eme)

quinta-feira, maio 18, 2017

Tertúlia com Orlando Laranjeiro





















O meu amigo Orlando Laranjeiro no próximo sábado vai levar-nos de "viagem" pela sua história de vida, que se confunde com o Movimento Associativo de Almada, e é cheia de motivos de interesse, como o espectáculo inesquecível que idealizou e encenou há mais de trinta e três anos, "Almada Antes e Depois de Abril".

A não perder, à partir das 16 horas, na sede da SCALA.