domingo, outubro 28, 2007

O Fumo e os Cafés


Há mais de uma dúzia de anos que costumo passar parte da manhã de domingo no "Café Repuxo", na Praça Gil Vicente.
Tudo começou com uma entrevista que realizei naquele espaço a Henrique Mota, autor dos excelentes volumes biográficos sobre os "Desportistas Almadenses", para o "Record".
Desta conversa viria a nascer uma grande amizade com este saudoso amigo, que perdurou até à sua partida, para o outro lado do mundo.
Acabei por conhecer a dúzia de homens ligados à cultura almadense, que frequentavam o café, em ambiente tertuliano, onde aprendi tantas coisas sobre o concelho de Almada e as suas gentes...
Embora grande parte dos convivas tenham mudado de ares, continuo a gostar de passar por ali, beber um café, ler o jornal e conversar, sempre que é possível.
Um dos últimos resistentes é Victor Aparício, o verdadeiro escritor deste café, quase sempre entretido a encher de palavras, os seus pequenos cadernos. Muitas vezes refugia-se no silêncio, tendo apenas como companhia os cigarros, os seus grandes companheiros de jornada, além da caneta e dos seus heróis de papel, claro.
Ele já me confessou, mais que uma vez, a sua preocupação com a lei que aí vem, porque não lhe apetece deixar estes "amigos" à porta, nem tão pouco, abandonar este espaço...
Eu não fumo - nem nunca fumei -, mas não concebo um café sem os hábitos de sempre, ou seja, as conversas animadas à mesa, a leitura de jornais, e claro, as nuvens de fumo, que circulam de um lado para o outro.
O fumador da fotografia é o realizador John Huston, porque também não consigo imaginar o chamado "cinemá noire" sem a presença do fumo dos cigarros, companheiros dilectos de tantos heróis solitários da sétima arte...

12 comentários:

Repórter disse...

De facto, a nova legislação pode prejudicar os ambientes "tertulianos".
Mas, como nunca fumador e anti tabagista, lá tenho que pedir aos "viciados" que tenham paciência e deixem o cigarrito à porta.

Maria P. disse...

Eu entendo esse ambiente que se cria em torno de uma conversa, um cigarro, um café...
Mas espero que findo o trio, que fique o dueto.

Boa semana*

redonda disse...

Eu também não fumo :) embora tenha muitos amigos fumadores, por isso estou dividida...Porque fumar faz mal seria bom se conseguissem deixar de o fazer.

Cris Caetano disse...

Eu tenho uma relação pacífica com o cigarro: posso ficar anos sem fumar, voltar a fumar por puro prazer (os fundamentalistas que me perdoem) e não ser afetada em nada com esse tipo de proibição, ou seja, se não for possível fumar, não fumo. Maaaaas, tenho uma profunda aversão pelo politicamente correto e acho que certas situações quanto o ato de não fumar, às vezes beiram o ridículo. Concordo com a redonda mas também sei o quanto é agradável os ambientes tertulianos, acompanhados de um bom tinto ou um café e para quem tem o vício do cigarro, é quase impossível ficar sem ele. Acho que "votaria" a favor de meus amigos fumantes inveterados... ;)
Beijos

isabel victor disse...

"cigarros, companheiros dilectos de tantos heróis solitários da sétima arte"

mas os cenários também vão mudando com o tempo ...
e esse do fumo (pseudoamigável) poderia ser um deles.

Mas, enfim ... compreendo que pior que o fumo são os fundamentalismos.

A parte de tudo isto, com fumo ou sem fumo, os " cafés " deixam saudades ...

beijo* Luís (e obrigada pela companhia)

AnaG. disse...

Não fumo e nunca me incomodou os fumantes de café.
O mesmo já não acontece quando estou no restaurante. Detesto estar a tomar uma refeição e sentir o cheiro do tabaco perto de mim.

Se o tabaco faz mal....deve-se evitar...
:)

Bom feriado.
Beijitos

Luis Eme disse...

Eu pensava que este "post" ía provocar mais reacções, contra e a favor, Repórter.

De certa maneira fui provocador, até por também não ser fumador.

Mas como sou contra todos os fundamentalismos, acho que os donos dos cafés deviam optar por ter estabelecimentos para fumadores ou para não fumadores, e isto estar afixado (estou a falar dos pequenos cafés, pois os de área maior, têm mesmo de ter dois sectores...).

Luis Eme disse...

Eu sei que entendes, Maria P.

Como não fumo, também não gosto de levar com o "fumo" em cima de mim... mas não consigo desligar o acto dos cafés... mesmo que fique com a roupa com o cheiro a tabaco...

Luis Eme disse...

Eu compreendo-te, Redonda, mas há tanta coisa que faz mal...

e fumar também é um prazer, pelo que...

Luis Eme disse...

Estamos em sintonia, Cris...

Luis Eme disse...

A grande questão, são mesmo os fundamentalismos, e a falta de respeito que existe de parte a parte, Isabel.

Há lugar para todos...

Luis Eme disse...

Também estou em sintonia contigo, Ana.

Os fumadores de café por norma não me incomodam, ao contrário dos de restaurantes... que até conseguem "roubar" o gosto à comida...