quarta-feira, abril 30, 2008

Os Sinais e as Riscas...

Ao fim da manhã assisti a uma discussão estúpida, e ao mesmo tempo, normal, pelo menos nesta Almada em constantes mudanças...
Uma senhora farta de esperar e ao ver que nenhum carro parava para a deixar passar, resolveu aproveitar uma aberta para atravessar a passadeira...
Num ápice apareceu um condutor apressado a apitar e a mandar a senhora atravessar a estrada na passadeira... a senhora respondeu-lhe à letra, perguntando-lhe se ele era céguinho, apontando para o sinal.
O homem ainda barafustou, até que percebeu que tinha feito asneira e arrancou apressado, sem abrir mais à boca, enquanto a senhora abanava a cabeça.
Eu que vinha atrás, sorri com aquele quadro.
Como condutor que sou, sei que muitas vezes esquecemos os sinais e olhamos apenas para a estrada, e como não vemos as riscas da passadeira, é sempre a andar.
Só que os sinais são soberanos.

8 comentários:

OBSERVADOR disse...

Sinais...
Do tempo e das obras.

Maria P. disse...

Sinal que as obras duram...duram...

Beijos*

jasmimdomeuquintal disse...

posso então concluir que somos quase vizinhos... e isto está dificil. A sorte é que vai melhorar quandoa sobras acabarem. Boa semana por esta avenida acima...

Luis Eme disse...

sinais de uns tempos complicados, para todos nós, desta banda, Observador...

Luis Eme disse...

podes crer... já passaram a pesadelo, há muito tempo, M. Maria Maio.

Luis Eme disse...

espero que sim "jasmim"...

mas as coisas estão complicadas e nunca mais se descomplicam...

Blackbird disse...

Tens toda a razão, Luis!!!

Outro dia também fiquei na dúvida se podia atravessar nessa passadeira, por via das dúvidas atravessoonde não existe passadeira nem sinais de passadeiras, acaba por ser mais seguro!!!

Já agora porque não uma boa noticia sobra a praça do repuxo? Já foi devolvida aos carros!!! Já conseguem estacionar á vontade em cima do passeio!!!

É o que eu digo qualquer dia deixo de andar nos passeios!

Abraço Luis!

Luis Eme disse...

há tanto a dizer sobre isto, Blackbird...

acho que as obras ainda soltaram mais as "feras" que existem em tantos condutores que andam por aí...

além disso, qualquer tipo das obras se acha no direito de atravessar uma máquina ou um camião no meio da via, mesmo que isso interrompa o trânsito, já de si caótico, por largos minutos...

em suma, anda quase tudo maluco, e o elemento mais fraco nesta "guerra" é sempre o peão...