quarta-feira, abril 23, 2008

Não Um, Mas Dez Livros Especiais...


Como é que vou conseguir explicar que não tenho apenas um livro da minha vida, mas, no mínimo, uma dezena?
Claro que, se fizer um esforço, talvez os possa reduzir para metade, mas para quê?
A minha geração, de uma forma geral, teve os primeiros contactos com a literatura na escola, através das leituras obrigatórias dos programas escolares. Eu não fugi à regra.
Destas primeiras leituras, surgiram os primeiros encantamentos, por razões várias.
Por exemplo, nunca esqueci a “Engrenagem”, de Soeiro Pereira Gomes, não tanto pela sua qualidade literária, mas sim, por me ter dado uma visão real do mundo do trabalho, da transição entre o campo e a cidade, no começo da adolescência... muito menos “O Malhadinhas”, que me apresentou o grande escritor, que é Aquilino Ribeiro, e que fez com que nunca mais virasse costas aos livros, tornando-me desde então, leitor por prazer e não por obrigação.

(continua no "Largo da Memória", neste Dia de Todos os Livros do Mundo...)

10 comentários:

Maria disse...

Porque será que partilho da tua opinião?
E também não me chegava escolher, se calhar nem dez.... porque cada livro (dos melhores) foi lido numa fase diferente da vida, logo tem um peso diferente....

Beijinho, Luís

Dulce Alves disse...

Filtrar os bons livros que já li para uma dezena é tarefa que também para mim se afigura difícil. Não é que todos os livros que já tenha lido sejam bons... (bem pelo contrário, houve muitos em que dei o tempo e o dinheiro por mal empregue...) mas, na verdade, desde a infância até hoje foram muitos os livros que me marcaram, não só pela boa literatura mas, tal como se diz no comentário acima, pelo momento/fase da vida em que foram lidos (que em muito influencia a nossa absorção das coisas).

Maria P. disse...

Excelente começo...

Beijos Luís M.

Sophiamar disse...

Livros inesquecíveis e cujos temas permanecem actuais.

Beijinhossss

Cris Caetano disse...

Também tenho alguns livros, Luís, que com o passar do tempo - A-DO-RO ler - vão aumentando... :)

Tive sorte, minha mãe é professora e minha prima mais velha também, e desde muito pequena, as duas, além da obrigatoriedade de leitura no colégio, estimularam o gosto pela leitura.

É muito bom ler, nos torna, ao longo da vida, pessoas mais questionadoras. ;)

Beijinho e obrigada pelo carinho.

Luis Eme disse...

Pois tem, Maria...

Luis Eme disse...

é isso mesmo, Dulce, a época em que os lemos, também os torna especiais...

Luis Eme disse...

é o começo... M. Maria Maio...

Luis Eme disse...

é curioso, tenho a sensação de que os bons livros são sempre actuais, Sophiamar, não se perdem no tempo...

Luis Eme disse...

pessoas questionadoras e conhecedoras, das coisas simples e profundas do mundo, Cris...