segunda-feira, setembro 18, 2006

O Ginjal na Literatura V


"Memórias do Ginjal"

"Memórias do Ginjal" acaba por ser o aspecto mais visivel do projecto "Ginjalma", desenvolvido desde 1994 pelo Centro de Arqueologia de Almada, com o objectivo de caracterizar o espaço do Cais de Ginjal, em Cacilhas, nos campos histórico, antropológico e social.

Esta obra editada em 2000 pelo Centro de Arqueologia de Almada e coordenada por Elizabete Gonçalves é bastante importante para o Concelho, uma vez que retrata muito bem toda aquela zona ribeirinha, graças ao testemunho de vários cacilhenses com ligações afectivas e profissionais ao Ginjal.

Podemos ainda acrescentar, que este livro está estruturado de uma forma bastante apelativa e é uma mais valia para o Património Local.

4 comentários:

Anónimo disse...

Fixação de memórias em papel... quando tudo o resto desaba neste espaço eleito
Quem quer saber do Ginjal? Uns namorados perdidos em Cacilhas,uns Solitários a matar o tempo da sua existencia ou perdido nos seus pensamentos... Uns quantos esperam que a linha se enterre dentro d'água para fazer rodar o carreto.
Bom trabalho este...segurar a história...
AC

Luis Eme disse...

Pois é, o Ginjal é um espaço de namorados, vagabundos, poetas, solitários, pescadores... bem já começa a ser quase muita gente.
Sempre ouvi dizer que um povo sem memória, tem mais dificuldade de coexistir.
Acredito nessa tese, até porque o passado deve ser olhado de frente, e não de esguelha, ou pior ainda, ser metido debaixo do tapete.

jifrancisco disse...

O Ginjal trás-me à memória a Sociedade Reparação de Navios onde conheci Mestres que eram simultaneamente técnicos e professores, verdadeiros artistas nas suas artes. Os arrastões da Docapesca faziam aí a sua manutenção. Saudações ao meu patrício Luís.Águas e o Benfica no coração

Luis Eme disse...

Obrigado pela visita J.I. Francisco.
O Ginjal é mesmo um colosso de memórias...