domingo, setembro 24, 2006

As Burricadas de Cacilhas


As Burricadas voltaram hoje a Cacilhas, numa festa organizada pelos Escuteiros Locais, com o objectivo de reviver alguns quadros da história da Freguesia.
Ainda que sem o encanto de outrora, foram disponibilizados meia dúzia de jumentos, que foram o encanto de muitas crianças, menos familiarizadas com estes animais, que de burro têm quase nada.
Desde o final do século XIX até ao princípio dos anos trinta do século XX, as "burricadas" eram um dos grandes atractivos dos turistas que visitavam a Margem Sul, maioritariamente da Capital. Os lisboetas aproveitavam o facto de o comércio estar aberto ao domingo em Cacilhas (nessa época a quinta feira era o dia de descanso dos cacilhenses), para se deliciarem com o passeio de barco pelo Tejo, o almoço de marisco ou peixe, nas tascas e restaurantes ribeirinhas, e, finalmente, para ajudar a digestão, o célebre passeio de burro pelas redondezas...

9 comentários:

António Cagica Rapaz disse...

É uma iniciativa simpática cuja divulgação merece igualmente aplauso.
Já agora, e por mera curiosidade, recordo o provérbio que diz que burro velho não aprende línguas.
Talvez seja verdade, mas não é por ser velho, é por ser burro...

Leo disse...

É uma iniciativa engraçada que se deve perpetuar pelos tempos,pois de certeza que muitas crianças só devem ter esta oportunidade com este evento.Em contrapartida recordei quando tinha os meus vinte e tal anos morava na Charneca de Caparica, e tinha um vizinho que possuia um burro que dava pelo nome de "Zé" foram anos de delícia para mim,sempre que podia dava uma voltinha no seu dorso, às vezes, teimoso e albarda solta, amandava-me ao chão. Um dia apanhei flores do campo, e já com um molho jeitoso na minha mão,enquanto lhe fazia festas,comeu-o todo,ficando atónita com o conteúdo dos caules de sobra. Conclusão, primeiro ver o que se traz numa mão e depois fazer festas a um burro.
Penso que seja cada vez mais difícil manter um animal destes, na actualidade, mas há que protegê-los.

Luis Eme disse...

Pois é Cagica, quase todos os ditados têm que se lhe diga...
também tenho muitas dúvidas que o «Burro calado se torne sábio». Quanto muito, pode passar por isso...

Luis Eme disse...

Também dei umas curvas de burro, não me lembro de nenhum trambolhão grande, mas devo ter caído algumas vezes, porque os burros, entre outras coisas, são uns brincalhões.
Penso que não seja difícil manter um burro Leo, a dificuldade é ter um espaço condizente com o animal, para ele pastar à vontade...

Costa D'Almada disse...

Há aí qualquer equivoco. Os burros nunca sairam de Cacilhas. Alguns continuam teimosos e a dar coices, como é o seu caso.

Zé Cacilheiro disse...

Ó pá tás enganado. Os burros não eram de Cacilhas, vinham sempre de fora, das aldeias próximas.
Os cacilhenses alimenetavam-nos a palha e davam-lhe umas vergastadas para eles se fazerem á vida.
pela tua conversa,tens umas leves parecenças com os bichos, tás sempre danadinho para dar coices Costa.
Como dizem nos "malucos do riso", Ó Costa!...

Anónimo disse...

Em Cacilhas agora existem burros de gabarito, vieram das Caldas da Rainha, e julgam-se doutores...

Manuel Dias disse...

Acho Snr Luis que os Burros das Caldas não tem resposta para dar, será que já viram que são muito conhecidos em Almada, pelas suas habilidades em passarem por Doutores.

Minda disse...

Também fiz referência a esta iniciativa lá pelo meu cantinho. E na Assembleia de Freguesia até foi aprovada uma saudação aos organizadores (o grupo de escuteiros cá da terra). Quanto aos comentários destes últimos visitantes só tenho a dizer: antes assumidamente burro, que é um animal digno e trabalhador, sejam eles naturais de Cacilhas ou tenham nascido noutras bandas pouca importa, do que um cobarde pavão que se julga muito importante e não passa, afinal, de um reles ignorante.