quinta-feira, outubro 16, 2008

Um Alvo a Abater

Sinceramente, não sabia que Carlos Queirós tinha tantos inimigos, nem que bastava uma derrota e dois empates, para lhe atirarem a toalha para o relvado...
Claro que estou farto de saber que há por muitos jornalistas e cronistas que não gostam de ninguém, nem mesmo do seu próprio umbigo.
Assim como sabia que era um risco enorme para qualquer treinador português, treinar esta selecção, depois da era "milagrosa" de Scolari, e então se começasse a qualificação com alguns precalços, como está a acontecer, ainda seria mais difícil...
Gosto de Queirós porque é uma treinador sério. Sei que ele não tem dotes de milagreiro, não vai encher o país de bandeiras, nem tão pouco andar com dentes de alho no bolso, para satisfazer o povo da bola...
Talvez seja disso que esta gente (e até alguns jogadores..) gosta. Talvez seja melhor contratar futuramente outro treinador de fora, que fale com os santinhos e com as estrelas...

Carlos Queirós cometeu erros, comete-se sempre, especialmente quando não se ganha... também faltou sorte, mas sobretudo inteligência.
Ontem à noite percebi algumas coisas. Por muito que isso nos custe, não cabem na equipa tantos artistas de circo, Cristiano Ronaldo, Nani e Quaresma juntos, é fantasia a mais e colectivismo a menos...
Claro que são eles que num lance de génio podem decidir o jogo, mas ontem em Braga não houve genialidade, só estupidez...

10 comentários:

Maria P. disse...

Quanto ao jogo não vi, em relação às atitudes face ao treinador, realmente nós somos tão activos/agressivos em relação a certos factos da nossa sociedade e tão passivos/brandos noutros...

Beijos, Luís M.

Maria disse...

Não percebo nada de futebol, como já disse.
Mas vejo os jogos da selecção, mesmo assim. Para festejar os golos, claro.
Ontem pareceram-me todos às "apalpadelas", houve remates mas sem concretizar.
No final tive imensa pena do Carlos Queiroz, que foi cruxificado ainda antes pela saída do Madaíl da tribuna...
Enfim...

Beijinho, Luís

Lúcia disse...

Bom, Luis - eu até defendi a vinda do Queirós para a selecção. Mas aquilo anteontem foi, também, um jogo de teimosia dele e das suas opções. Bem sei que sou treinadora de bancada - mas a burra a fugir e ele a manter um sistema de jogo comprometedor! Certo - houve bolas que não entraram na baliza. Mas, certo também, houve alturas em que, já com 10 na Albânia, a equipa não conseguia crescer. Mas concordo contigo sobre os exageros que agora se aplicam ao Queirós. Calma. Porque ele é o nosso homem e vamos dar mais tempo.
(E pronto...isto quando puxa à bola - lá nos puxa a língua também...)

Beijinhos

hfm disse...

Finalmente um escrito sereno e de análise, um oásis na "diarreia" verbal de tanto comentarista!

OBSERVADOR disse...

E a triste figura do presidente da FPF, Gilberto Madaíl, que saíu do camarote seis minutos antes do jogo acabar?
E porque não se diz que a corda bamba em que se encontra o SENHOR CARLOS QUEIROZ é motivada pelos patrocinadores que não gostam dele?

Scolari?
Deixem-no estar onde está.
Apesar do fuso horário ser o mesmo, não incomoda.

Luis Eme disse...

é verdade, M. Maria Maio...

Luis Eme disse...

continua a haver muita "porcaria" na federação, Maria, a começar nesse senhor, colado ao poder, para variar...

Luis Eme disse...

ele cometeu erros, mas quem falhou mesmo foram as nossas "vedetas", Lúcia...

há ali muitos pés de barro...

Luis Eme disse...

foi escrito com serenidade, Helena.

detesto estes excessos que transformam as bestas em bestiais e vice-versa, inclusive do nosso jornalismo...

Luis Eme disse...

tens razão, Observador, há muitos interesses em jogo e o Madail só continua porque tem jeito para marionete...