terça-feira, outubro 21, 2008

«Isto é uma Passadeira, Estúpido!»

Não, não se trata de uma palavra de ordem, apenas um desabafo meu, cada vez mais habitual, especialmente para os condutores da TST de Almada, que adoram acelerar rente às passadeiras (sei que já falei nisto, mas eles estão cada vez piores, e se não respeitam velhinhos nem criancinhas, o que dizer do resto da malta...).
Como não tenho passe social, ando quase sempre a pé em Almada. Só uso o carro para me deslocar para fora. Quando atravesso o rio, além dos cacilheiros e de também andar a pé, uso preferencialmente o metro, mais pela sua rapidez. Quando estou com mais pressa e tenho algum compromisso, apanho um táxi. Dizem muito mal destes senhores, mas eu, sinceramente, não tenho razão de queixa. Além de não ser costume andarem às voltas por Lisboa para me sacar "guito", gostam de conversar, essa coisa cada vez mais rara, em Portugal e no Mundo...

Voltando aos fulanos da TST, ainda bem que conduzem de janela aberta. Pelo menos levam com as minhas bocas.
Tenho pena que na sua formação permanente não exista educação cívica. Querem exemplos? Aí vão: além de não gostarem de cumprir horários (ora saem mais cedo ou mais tarde que a tabela...), olham para as passadeiras como obstáculos que têm de ultrapassar a todo o custo, e outra coisa ainda; não menos grave, adoram arrancar, quando vêm alguém a correr para apanhar o autocarro.
Em suma, são uns gajos porreiros...

18 comentários:

Maria P. disse...

És mesmo do contra.
São uns senhores porreiros...
Ok?:)

Beijos, Luís M.

Lúcia disse...

Ai Luís: não te querendo tirar razão nenhuma à tua indignação - já me ri com o teu texto, que é muito sugestivo. Explico:
1º '...ainda bem que conduzem de janela aberta. Pelo menos levam com as minhas bocas'.
2º '...olham para as passadeiras como obstáculos que têm de ultrapassar a todo o custo, e outra coisa ainda; não menos grave, adoram arrancar, quando vêm alguém a correr para apanhar o autocarro'.
E não será só ai assim. E é de lamentar. Mas a forma como escreveste arrancou-me umas risadas!
Beijos

Maria disse...

Eles têm de facto corredores especiais para eles, têm prioridade porque transportam mais pessoas, etc.
Mas arrancam à bruta, como dizes, e ignoram passadeiras desde que esteja verde para eles...
É horrível...
Se gritares muitas vezes "é a passadeira, estúpido" pode ser que se habituem...

Beijinho, Luís

Menina_marota disse...

"Com o Prémio Dardos se reconhecem os valores que cada blogueiro emprega ao transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais, etc. que, em suma, demonstram sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre suas letras, entre suas palavras."

Agradecia que passasses pelo MM para recolher o Prémio que foi atribuído a este Blogue.

Um abraço ;)

Carla disse...

falta de educação cívica essa é, sem dúvida, uma das maiores carências em Portugal
beijos

Ana disse...

Julgavas que era só por essas bandas?
Não é.
O que descreves assenta como uma luva a grande parte dos motoristas da Carris, em Lisboa.
Há uns anos, quando havia autocarros de 2 andares (no século passado...), devido a uma travagem mais do que brusca, desci a escada toda de rabo nos degraus, em menos dum fósforo.
Felizmente não fiquei magoada.
Deu-me para rir, com o nervoso.
Devia era ter feito queixa do animal.

Abraço

Cris Caetano disse...

Isso é no mundo todo, Luís. Aqui também.

Beijinhos

Rute Oliveira disse...

E o 114 da Amadora?!?! São autocarros especiais porque assim que entras passas a ser mais uma peça de gado que os motoristas transportam por ali fora, bem se calhar o gado é mais bem transportado que nós...

CAP CRÉUS disse...

Coitadinhos deles...
Os da carris fazem o mesmo!
Mas essas obras não acabam?

Luis Eme disse...

pois sou, M. Maria Maio...

Luis Eme disse...

ainda bem, Lúcia, ele é trágico-cómico...

Luis Eme disse...

eu falo de Almada, onde não há muitos sinais luminosos, onde têm de respeitar os peões, Maria.

Luis Eme disse...

és uma querida, MM.

Luis Eme disse...

sem dúvida, Carla.

Luis Eme disse...

eu sei, a falta de civismo é um mal generalizado. mas quem serve os outros (como é o caso dos condutores), deveria ser educado profissionalmente a ter outra postura, Ana.

Luis Eme disse...

pois, e ue a pensar que era só em Portugal, Cris...

Luis Eme disse...

e não queria falar nisso, Rute, no jeito que eles têm em acertar em buracos, acelerar e travar brsucamente, etc.

Luis Eme disse...

coitadinhos de nós, Cap.

o fim das obras parece que é para o mês que vem.

estão naquela fase em que já trabalham de noite e aos fins de semana...

vão ficar umas obras muito mal amanhadas, os passeios é só lombas...