sábado, março 15, 2008

A Palavra Exterminar...

As palavras nunca precisaram de ficar reduzidas a palavrões para nos incomodarem. Por exemplo a palavra exterminar, sempre me irritou. Talvez por estar ligada a vários holocaustos.

É por isso que não entendo a possibilidade de se exterminarem algumas raças de cães, por serem nocivas aos seres humanos.
Todos nós sabemos que há vários animais selvagens, extremamente perigosos, em perigo de extinção, e apesar da sua perigosidade, continua a fazer-se um esforço titânico para que não desapareçam do planeta.
Gostava sim de ver a lei ir mais longe - e claro, ser aplicada, - em relação aos donos dos cães de raças perigosas, com multas elevadas, e até com a prisão. Não tenho dúvidas que são eles os verdadeiros "assassinos" e causadores dos acidentes graves que têm acontecido no nosso país, já que adoram "exibir" os seus animais de estimação (?) na via pública, sem açaimes e trelas, como se fossem o prolongamento da sua virilidade.
Os patuscos da fotografia, são uns cães dóceis do casario do Ginjal (no verdadeiro sentido da palavra), que por ali andam à solta e até posam para a fotografia...

28 comentários:

Maria disse...

Eu não conheço o suficiente sobre cães para poder partilhar da tua opinião, mas acho que os animais são, em muitos casos, o que são os seus donos.
Penso que essa hipótese de lei não será cumprida, é só ver que a lei que obriga os donos dos cães a apanhar os "presentes" que eles deixam nas ruas não é respeitada por milhares de donos de cães, apesar das multas existirem...
Estes dois "patuscos" têm um ar tão meigo que até apetece fazer festinhas....

OBSERVADOR disse...

Animais perigosos?
Eu diria donos perigosos.

É. Esses senhores que passeiam os seus cães,fazem-no sem as condições previstas na lei.
Açaimes, trelas, etc.

E um cão mal educado,mal ensinado, pode tornar-se num perigo público.
Afinal, os animais acabam , na minha opinião, por ser o reflexo dos donos.

Tal dono, tal cão...

Maria P. disse...

Partilho da opinião do comentário anterior, os donos esses sim devem ser responsabilizados e obrigados a cumprir as normas.

Exterminar, sinceramente,digo eu, uma palavra a abater...

Beijinho e abraço*

Paulo Alexandre disse...

Cumpra-se a Lei. Já existem muitas leis (Lei nº 49/2007, Portaria nº 421/2004, os Decretos-Lei nº 312,3,4,5/2003) sobre o mundo canino e sobre os cães potencialmente perigosos. Só que quase ninguém cumpre a lei. Já por diversas vezes tenho vindo a alertar o Sr. Ministro da Agricultura bem como a Direcção Geral de Veterinária para esse facto.

As Câmaras Municipais (CM) e o Estado e a DGV não deveriam fiscalizar pelo cumprimento das leis?

Segundo o art. 18º do Dec. Lei 313/2003, compete à DGV, às DRA, à Inspecção-Geral das Actividades Económicas, às Câmaras Municipais, aos médicos veterinários municipais, às juntas de freguesia, à GNR e a todas as autoridades policiais assegurar a fiscalização.

É de lei registar os cães na junta de freguesia de residência (Portaria nº 421/2004).

O Clube Português de Canicultura (CPC) só regista (não obrigatório) no Livro de Origens Português (LOP) os cães com pedigree e cujos donos não estejam suspensos por este (CPC) de todas as actividades cinológicas. O LOP é da responsabilidade da DGV mas delegada no CPC. Veja-se o exemplo dos registos do gado bovino.

E já agora, quantos cães existem em Portugal? Quantos estão registados (perigosos ou não)?

As Polícias (PSP, Municipais, …) multam o dono do cão por não trazer a trela, não ter açaime se for caso disso, se defecar em espaços públicos, …? Muito provavelmente não. Mas se as anteriores infracções são fáceis de detectar, punir o facto do cão não estar registado, é mais complicado.

Deixo uma sugestão, solicitem à pessoa que passeia o cão, o nome e morada do proprietário do animal e enviem os dados para verificação para a Junta de Freguesia (JF) e apliquem a lei. A DGV através das CM e das JF faz a vacinação anti rábica. Verifiquem se têm o registo e o microchip. Até os próprios médicos veterinários o podem fazer. Isto tudo é uma questão cultural e de civismo.

As CM e as JF pactuam com estas irregularidades e só quanto existe uma desgraça é que actuam e os senhores jornalistas já têm matéria para páginas nos seus jornais e abertura de notícias na rádio e televisão.

“LOP – Livro de Origens Português, pedigree, o registo de nascimento dos cães de "raça pura". O LOP foi criado em 1932, para fazer o registo genealógico, para a identificação dos cães de raça pura, existentes em Portugal, conforme despacho ministerial de 29 de Março de 1939 (Diário do Governo, nº 91, 3ª Série de 20 de Abril de 1939) – ponto 1 do art. 1 do Regulamento do LOP, www.cpc.pt/cpc/regulamentos/lop_ri.pdf .”

O registo na junta de freguesia de residência é obrigatório para qualquer cão, mas é autorizado, por parte do CPC e das autarquias, onde são realizados os eventos caninos, participarem sem o devido registo e ninguém solicita autorização à Direcção Regional de Agricultura, conforme, o Dec.-Lei nº 314/2003 de 17 de Dezembro. Nestes eventos não existe fiscalização, apesar dos folhetos de divulgação constar o nome de um médico veterinário. O médico veterinário, em muitos casos, não aparece, e quando aparece, faz uma verificação do boletim de vacinas de uma forma aleatória e/ou com a presença do microchip, esquecendo-se da vinheta da junta de freguesia e se acontecer não ter a vinheta da junta, não acontece nada ao prevaricador.

Será que o médico veterinário (se aparecer) vai ver (artº 5 Decreto-Lei nº 314/2003) todos os cães? Talvez não, e se fizer alguma verificação, esta é aleatória e itinerante, segundo as regras do CPC (www.cpc.pt/?exposicoes/2007/info/veterinario).

Será que o médico veterinário municipal vai ver selo ou carimbo do licenciamento de cães, “potencialmente perigosos” ou não, no boletim sanitário? Talvez não. E se o médico veterinário der pela falta do selo ou carimbo? Passa à frente, porque esta responsabilidade é do Presidente da junta da área da exposição.

Os cães considerados “potencialmente perigosos” vão andar de açaime no espaço público da exposição? Não. É punido? Não.

As exposições e ou concursos caninos pedem autorização às Direcções Regionais da Agricultura (nº2 do art. 4º do Dec. Lei nº 314/2003)? Talvez não.

PS - Por falar em cães, existe um buraco no Decreto-Lei nº 74/2007 - cidadãos portadores de deficiência com cães de assistência pois este não é possível de ser cumprido. Quais são os “estabelecimento idóneo e licenciado que utilize treinadores especificamente qualificados" em Portugal? A profissão de treinadores de cães é reconhecida oficialmente?

alice disse...

um tema que está na ordem do dia e que ainda ontem abordei com um casal amigo. quem gosta realmente dos animais não pode concordar com a sua extinção e deve criar todas as condições para que o seu convívio com os humanos seja o menos arriscado possível. beijinho grande, luís*

EMALMADA disse...

Muita insensatez no que foi anunciado.
Por isso o país é o atraso que conhecemos.
Não se procura resolver os problemas por caminhos de lucidez mental.

Rui Caetano disse...

Antes de acusar os animais é preciso exigir responsabilizar os donos.

Ida disse...

Amei, sobretudo, esses olhinhos fofos e absolutamente fotografáveis (e afáveis!). E concordo absolutamente com o parágrafo sobre os donos. Foste na jugular, meu querido.

Beijos e que encontremos olhinhos como esses muitas vezes, ao longo dos dias.

Blackbird disse...

Anda lá um "menino" já bem entrado na idade que gosta de andar a passear o seu cão, com passados desses "cães perigosos", sem a trela, e que no outro dia já vinha todo "atrevido" direito á minha mulher e ela é que se meteu logo no carro! Luis cuidado com as crianças!

Abraço e deculpe pelo desabafo!

Sininho disse...

Não podia estar mais de acordo com o teu post.
É facílimo deitar leis cá para fora.
Quando não há maneira de as fazer cumprir, arranjam-se outras.
No final, continuará tudo na mesma.
Donos irresponsáveis, cães à solta (perigosos ou não), cocozinhos nos passeios e lutas de cães em locais que a polícia bem conhece mas onde nem se atreve a entrar.
Por falta de meios e de outras coisas.

Os lindíssimos olhos desse cão castanho são quase humanos.
Mas, mesmo sendo mansos, os animais não deveriam andar soltos na rua.
Por uma questão de princípio e de exemplo.
Digo eu, que adoro cães e não sinto medo de nenhum...

Abraço

isabel disse...

fiquei chocada! exterminar raças de cães?

os da foto são adoráveis :)

Luis Eme disse...

Claro que são, Maria...

Detesto estes tipos que treinam os cães para a "guerra", tal como detesto as pessoas que querem transformar simples cães em seres humanos...

Luis Eme disse...

Sem qualquer dúvida, Observador, tal dono, tal cão...

Luis Eme disse...

Exterminar, é uma palavra mesmo feia, Maria Maio...

Luis Eme disse...

Cumpra-se a lei, Paulo Alexandre.

Luis Eme disse...

Exactamente, Alice...

Luis Eme disse...

Talvez seja propositado, Em Almada, enquanto se discute isto, não se discutem outras coisas, mais na ordem do dia, como as manifestações de desagrado em relação ao governo...

Luis Eme disse...

Concordo plenamente Rui.

Luis Eme disse...

Estes cães são mesmo patuscos, por lá andam, no Ginjal, com ou sem dono, Ida...

Luis Eme disse...

Também concordo contigo, Sininho, por uma questão de principio, os cães deviam andar sempre presos na via pública, até porque há pessoas têm medo do cão mais inofensivo...

Mas quando existem placas a proibir a sua circulação sem trela, em espaços relvados de lazer e os donos soltam-nos para deixarem os seus presentes onde os nossos filhos brincam.

E se dizes alguma coisa, ainda te perguntam se tens alguma coisa com isso, como se o "mundo" fosse só deles...

Com menos egoísmo e mais bom senso, os acidentes que se poupavam por esse mundo fora...

Luis Eme disse...

Todo o cuidado é pouco "blackbird" na nossa "quinta"...

Eles acham a coisa mais normal, andarem com os cães à solta, como se a rua fosse deles... é egoismo e irresponsabilidade a mais...

Luis Eme disse...

Eles nem as pensam (ou então pensam demais...), Isabel...

Cris Caetano disse...

Concordo totalmente com cada palavra que está neste teu post. A periculosidade de alguns cães é de total responsabilidade dos donos. Os cães tendem a ser agressivos - e isso independe do tamanho do animal - da maneira como é educado pelo dono. Cansei de assistir - e de reclamar - a donos batendo no focinho dos bichinhos como forma de "educá-los".

Nesse ponto gostaria que tanto a legislação brasileira como portuguesa fossem mais enérgicas com a raça humana da mesma forma que a legislação americana é com os donos de animais. Lá, dá cadeia mesmo para os donos irresponsáveis.

E quem são essas fofuras da foto? Eu sou apaixonada por bichos: cachorros, gatos, passarinhos (que não agüento ver presos), tartarugas etc rsrsrs

Beijinho

Luis Eme disse...

São uns cães, quase vadios, que brincam mais do que "guardam" o casario do Ginjal...

Penso que pertencem a um velho, que vive naquelas ruinas, e por isso "tem abrigo"...

É curiosa a solidariedade e amizade que se constroi entre os sem abrigo e os cães vaidos...

CAP CRÉUS disse...

Sobre essa matéria, já me expressei no meu canto, mas nunca é demais dizer que é mais uma lei idiota contra quem menos merece, que são os cães em particular.
Os selvagens dos donos, esses sim deviam ser presos, fazer trabalho comunitário (por exemplo fazer horas em associações de animais abandonados),e pagar pesadas multas em dinheiro, a favor dessas mesmas associações.
Este país anda sempre ao contrário!
Abraço

Rosa dos Ventos disse...

Fico sempre incomodada com tudo o que possa prejudicar os mais fracos.
Neste caso os mais fracos são os animais que serão abandonados por donos irresponsáveis!
E então é que eles ficarão verdadeiramente à mercê dos seus instintos e capazes de tudo para se alimentarem, para fugirem às perseguições, etc.
Lamentável!...

Luis Eme disse...

Lamentável, mesmo, Rosa...

inominável disse...

"há vários animais selvagens, extremamente perigosos, em perigo de extinção, e apesar da sua perigosidade, continua a fazer-se um esforço titânico para que não desapareçam do planeta."

estás a falar da humanidade?????