segunda-feira, dezembro 20, 2010

O Inverno no Ginjal

O Inverno paira no Ginjal.
Esconde o sol com nuvens cinzentas, daquelas que estão prontas para lavar o paredão e fazer pequenas piscinas dentro das casas sem telhado.
Não é coisa de menos.
Amanhã é vinte e um, é costume os dias ficarem mais frios neste final de Dezembro.
Frio que permanece em Janeiro.
Claro que o Sol é demasiado vadio para se submeter a "histórias de estações", e vai aparecer, muitas vezes.
Não é por acaso que o Tejo é mais bonito que o Sena ou o Tamisa...

6 comentários:

Maria disse...

Tu e o Tejo...
O Inverno parece ter começado dois dias antes. Hoje aqui choveu (e chove) torrencialmente e o vento assobia por todos os lados. O Tejo estava cinzento, exactamente como devia estar. O sol nem bom dia disse...

Beijinho, Luís.

Observador disse...

Nós e o Tejo...

Luis Eme disse...

e chegou novamente o frio, para nos deixar à lareira no Natal, Maria...

Luis Eme disse...

sim, nós e o Tejo, Observador.

George Sand disse...

O Tejo, o Douro, O Minho, o Lima...os rios transportam promessas de quase tudo, para quase todo o lado e, têm gaivotas que sobrevoam a alma. Cheiram a quase maresia.
Água é a minha forma de viver. Sem água afogo-mo no espaço e perco o pé.

Luis Eme disse...

isso é poesia da boa, George Sand.