quinta-feira, dezembro 23, 2010

Natal à Beira Rio


NATAL À BEIRA-RIO

É o braço do abeto a bater na vidraça?
E o ponteiro pequeno a caminho da meta!
Cala-te, vento velho! É o Natal que passa,
A trazer-me da água a infância ressurrecta.
Da casa onde nasci via-se perto o rio.
Tão novos os meus Pais, tão novos no passado!
E o Menino nascia a bordo de um navio
Que ficava, no cais, à noite iluminado...
Ó noite de Natal, que travo a maresia!
Depois fui não sei quem que se perdeu na terra.
E quanto mais na terra a terra me envolvia
E quanto mais na terra fazia o norte de quem erra.
Vem tu, Poesia, vem, agora conduzir-me
À beira desse cais onde Jesus nascia...
Serei dos que afinal, errando em terra firme,
Precisam de Jesus, de Mar, ou de Poesia?

David Mourão-Ferreira
A bonita fotografia é da Luisa, que tem um blogue estupendo, "Beira-Tejo".

9 comentários:

Maria disse...

Coincidimos no poema. Só prova que temos bom gosto...
Bom Natal para ti e família.

Beijinho, Luís.

maria disse...

Feliz Natal, Luís.


Beijinhos

CAP CRÉUS disse...

Feliz Natal!
Abraço e que seja mais um ano de troca de testemunhos!
Bela foto!

Luísa disse...

Luís, votos de um Feliz Natal para si e para a sua família... e adianto já os votos de que 2011 nos traga a todos excelentes surpresas (votos que terei de renovar muitas vezes, com muitas figas, a ver se se concretizam!)
;-)))
P.S.: Muito obrigada pela referência.

Cris Caetano disse...

Preciso dos 3! :)

Feliz Natal, Luis!

Beijos

Observador disse...

Que imagem maravilhosa, Luis.

Bom Natal.

Luis Eme disse...

que o Natal vos tenha dado aquilo que vocês mais queriam.

beijinhos e abraços para todos.

Rosa dos Ventos disse...

Belo poema este!
Espero que o que me trouxe venha por bem!

Abraço

Luis Eme disse...

também espero, Rosa.