sexta-feira, setembro 26, 2008

Um Poema e as Mulheres...


A Margem da Alegria


Quando repito existiam as mulheres sempre elas as mulheres
sempre as mesmas sempre diferentes mulheres
mãos postas sobre as mesas na penumbra rostos
onde havia tudo e tudo por detrás de tudo
e uns olhos e nos olhos e a partir dos olhos um olhar
que para nomear teria de falar de mar e de água
e da profunda mágoa de ter de desistir de as reter

O poema é de Ruy Belo, a actriz da imagem é Alida Valli, ambos retirados do álbum de João Bénard da Costa, "Como o Cinema era Belo".

15 comentários:

Maria P. disse...

E esta?!...:)

Beijos, Luís M.

Lúcia disse...

Belíssimo. Que bom tropeçar nestas palavras que me levam...a outros tempos, Luis:)
Beijinhos

redonda disse...

Gostei do poema. Penso que o cinema era e continua a ser belo.

Rosa dos Ventos disse...

Belíssimo poema!
Ainda me lembro da Alida Valli, vê como eu sou velha! :-))

Abraço

Ana Patudos disse...

Gostei. Ruy Belo, um ribatejano , de uma aldeia perto de Rio Maior.
Abraço
Ana Paula

Luis Eme disse...

porque não, M. Maria Maio?

Luis Eme disse...

sim, é uma bela mulher e um belo poema, Lúcia...

Luis Eme disse...

claro que continua, Redonda.

há sempre um realizador com uns pós de magia, por aí...

Luis Eme disse...

não me lembro dela como actriz, Rosa, mas é bonita, tal como o poema de Ruy Belo.

Luis Eme disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luis Eme disse...

ainda bem que gostaste, Ana Paula...

Cris Caetano disse...

É lindo e ela? Nossa!

Beijinhos

vague disse...

Que bonito que é.

Luis Eme disse...

é tudo lindo, Cris...

Luis Eme disse...

ainda bem que gostas, Vague...