domingo, setembro 14, 2008

Este País Não é Para Velhos Nem para Novos...

Este país não é para velhos nem para novos, aliás, parece não ser para ninguém, se ignoramos a minoria que governa e que se tem "governado", ao longo de todos estas anos de liberdade (?)...

Digo isto porque não consigo aceitar, que um governo que divulga estatísticas e faz publicidade sobre a melhoria e a aposta da educação, comece a meter água, logo na pré-primária.
Não aceito que crianças com mais de quatro anos - como é o caso da minha filha -, fiquem em listas de espera (a maneira airosa de dizerem até para o ano...) no começo da sua vida escolar, apenas porque as escolas só estão preparadas para terem x alunos.
Numa altura que assistimos a um constante fecho de escolas e aumento de professores no desemprego, é ridículo que esta gente que nos governa e se governa, apenas pense em "vender banha da cobra" nos jornais e televisão, sem pensar seriamente no desenvolvimento do país, que devia começar numa aposta séria na educação e não nesta nova moda "socrática" de cortar fitas nas poucas escolas que abrem na data oficial e oferecer "medalhas" de mérito aos melhores alunos.
Era bom que a escola fosse cada vez mais um espaço de inclusão e não de exclusão, para os alunos, de todas as idades, e para os professores, claro.

A "Fila de Espera Numa Mercearia", de Robert Doisneau, também pode ser usada para as nossas escolas, para os nossos alunos e para os nossos professores, infelizmente.

12 comentários:

Maria P. disse...

Não sei se com a idade dela pode ficar em lista de espera, não sei...

Este país está num dos seus piores niveis.

Beijos, Luís M.

Rosa dos Ventos disse...

Tens toda a razão!
É intolerável que isso aconteça!

Abraço

Lúcia disse...

Oportuníssimo, o teu texto, Luis. Estás cheio de razão. Ainda hoje, numa sessão para desempregados que visava informar sobre um curso de formação profissional no interior do país, uma mãe de gémeos disse-se interessada num curso, mas que não tinha onde deixar as suas crinça uma vez que as listas de espera dos Infantários daquele concelho eram enormes. E aqui está um problema para a inclusão. E um ponto de partida para o que dizes cheio de razão "Era bom que a escola fosse cada vez mais um espaço de inclusão e não de exclusão".
Beijos

Maria disse...

Aplaudo este post com "todas" as mãos...

Beijinho, Luís

OBSERVADOR disse...

Os que nos governam e que se governam teimam em nos colocar numa fila qualquer.

Sabem mas não confessam que sabem que um dia serão eles a fazer parte de uma lista mais ou menos longa ... à espera que a morte os leve.

Cris Caetano disse...

É um absurdo! Já disseste tudo.

Beijinhos

Luis Eme disse...

também não sabia, mas pelos vistos na pré-primária, qualquer miudo, mesmo com cinco anos pode ficar em lista de espera, basta que não existam vagas suficientes, M. Maria Maio.

na pré existem números "clausurus" como na universidade...

Luis Eme disse...

neste país tudo é normal, Rosa...

Luis Eme disse...

mas estes tipos pensam é no dinheiro, querem lá saber se a escola é um espaço de inclusão ou exclusão, Lúcia...

Luis Eme disse...

eu sei Maria...

Luis Eme disse...

mas até lá vão gozando à portuguesa e à francesa, à nossa custa, Observador...

Luis Eme disse...

completamente, Cris...