quarta-feira, setembro 26, 2007

Herman e a Margem Sul


De vez em quando descubro algumas pequenas preciosidades, como esta frase de Herman José, que acompanha o retrato de uma das suas personagens mais populares, Tony Silva, "el gran criador de la musica ró", publicada na revista do semanário "Expresso", de 13 de Junho de 1997...
Nesta altura, mesmo utilizando uma "olimpic", talento era coisa que não lhe faltava...

8 comentários:

Maria disse...

Apetece-me provocá-lo, e vou: ele detestava a margem sul porque é a margem esquerda.
Rapidamente virou (o casaco). Não é ele que tem uma casa em Azeitão?
Que diria ele se fosse confrontado com isto, agora?

Um abraço, Luís

isabel mendes ferreira disse...

olá LUIS, vi o seu comentário na IsaBel Victor...:))))

e "ELE" é mesmo um pessimista. ecléctico. tímido. profundo. iconoclasta e arrogantemente interrogativo...

beijo. de bom dia!


hora tardia de regresso ao Piano.
:)


___________Quanto ao Tio Herman, que conheço de outras "lides" , tem razão,,,toda...naquela altura o talento era vivo activo fluido e interminável....
agora passou a ser um sofrimento. pelo menos é o que sinto...agora....:))))

Repórter disse...

Herman teve uma casa na Costa de Caparica. Era um apartamento todo o uso.
Herman tinha uma vivenda perto de Azeitão. Com piscina e mordomias qb.
Herman teve uma moradia junto à AE2 que cedo se tornou incómoda por motivos que agora não interessa focar.
Herman disse que QUASE sempre detestou a Margem Sul.
Resta saber o que quereria ele dizer com o quase.
E, penso eu, se não teria saído desta influência, o disparate ministerial de classificar esta margem de deserto...

Luis Eme disse...

Ele não gosta da margem esquerda, porque não é um espaço muito habitual para "tiazocas pindéricas", se esquecermos algumas "ilhas", Maria...

Em relação ao confronto, ele dizia que Azeitão não é "margem sul"...

Luis Eme disse...

Olá Isabel!

Apesar de todas essas coisas, o Nadir é um excelente artista, e conseguiu dar à sua arte um toque tão pessoal, que é muito dificil de imitar...

Em relação ao Herman, é uma pena, ter perdido o sentido critico que tinha da sociedade... e ocupar o tempo a fazer caricaturas dele próprio, pouco felizes...

Luis Eme disse...

Eu acho que ele sempre detestou a "margem sul", porque não se sente bem no meio das pessoas que trabalham, normalmente sem "glamour", Repórter...

isabel victor disse...

Ele fez muitas, muitas coisas boas ! A dificuldade, está em saber sair no auge ... rotinou num determinado tipo de "piada"/ cliché,ínsipida e desgastada.
Acontece com muitos ...
É difícil fechar as luzes, sair do palco, admitir correr o pano, quando já se foi uma grande estrela. É penam mas é assim ...

Porém não arrisco fazer juízos de valor - sobre " casas e coisas", confundindo o artista com a arte. Prefiro ficar pela arte ou (des)arte, porque teríamos, então, muitas surpresas e grandes enganos (!) se analisássemos a arte pelas vidas dos artistas (sejam eles/elas - actores, pintores, escritores,realizadores,filósofos, etc).
Uma vez li um livro sobre a vida de Karl Marx contado a partir das memórias de quem o conheceu na intimidade ... (e depois, o que é que isso acrescenta à obra ? Historicamente, que significado tem ?).
Penso que temos que fazer um esforço para " descolar " do imediato, que não nos permitir relativizar as coisas, situá-las no seu tempo histórico.
Contornar o voyeirismo e a tentação moralista do nosso olhar.
Que um dia mais tarde, apagadas as vidas, fiquem só as partes boas. Oxalá ...

Luis Eme disse...

Concordo contigo.

Embora seja dificil passar ao lado da vida de algumas vedetas, Isabel, porque por vezes gostam de a dourar e mostrar nas revistas da ordem.

Acho que ele continua talentoso, está é mais preguiçoso, e provavelmente farto de fazer a mesma coisa, há um ror de anos...