sábado, maio 26, 2007

Baía do Seixal


Hoje passei um pedaço da tarde no concelho do Seixal.
Ao olhar para a beleza natural da Baía e para tudo o que a rodeava, tive um pensamento, que começa a ser vulgar em mim...
Pensei que aquele lugar espectacular, num outro país, seria muito mais agradável, para quem vive por lá e também para quem veste a pele de turista.
Claro que esta frase ajusta-se a quase todo o país, de Norte a Sul.
O mais enigmático, é que, apesar das agressões e do mau gosto que todos conhecemos, Portugal continua belo...

10 comentários:

Rui disse...

JÁ AGORA O BLOG INFINITOS FAZ CENSURA, SÓ RECEBE COMENTÁRIOS DE QUEM LHE APETECE, É TIPO LÁPIZ AZUL, SÓ ACEITA O QUE LHE CONVÉM..E DIZ-SE AQUELA VACA UMA LIBERAL E DE ESQUERDA!!!

Repórter disse...

Portugal tem muitos locais bonitos, bem tratados. É inegável.
Mas estas manchas, Luís...
Teimosamente existentes.

Luis Eme disse...

Para responder ao teu comentário decidi descer ao teu nível (pedindo desde já desculpa todos os visitantes):
- Vaca é a tua mãe e restante família, meu cobarde de merda!

Luis Eme disse...

Eu sei repórter, felizmente existem alguns lugares bonitos e aprazíveis no nosso país.

Por exemplo, no Seixal tem-se procurado melhor a qualidade de vida das pessoas, hoje pode-se passear e andar de bicicleta em redor de toda a Baía (o que não acontece em Almada...), em segurança, o que não acontecia há uma dúzia de anos...

Papoila disse...

Pelo menos o mau cheiro da baía já não é tão mau, os esgotos começam a ser tratados.

A maré baixa mostra o fundo da baía, aquilo que o Homem faz ao que de mais belo tem, agride e não trata do que é seu.

Vili disse...

Bem, aqui há uns dias dei uma volta a pé pela baía, desde o Seixal à Arrentela e, francamente, achei tudo aquilo muito asseado e arranjado. Nada comparável com o mesmo local, há uns anitos atrás, em que andar ali era enjoante, até de carro.

Luis Eme disse...

Sim, não há qualquer comparação, entre a Baía de há dez anos e a de agora, Papoila.

Luis Eme disse...

Vili, eu sei, e já disse, que não existem quaisquer comparações com a Baía de ontem e a de hoje.

O que eu pretendia dizer, é que nós, enquanto país, temos todas as condições naturais para criarmos lugares extrardinários e não o conseguimos. Raramente exploramos as potencialidades e qualidades das nossas terras. E depois vemos países que conseguem fazer pequenas maravilhas, sem terem as nossas "nozes".

CAP CRÉUS disse...

Continua belo até ver, pois já não falta muito para isso acabar.

Luis Eme disse...

Pois não "Cap"...