segunda-feira, agosto 25, 2008

É Português...

Há sempre alguns portugueses de grande qualidade que não caem nas boas graças dos habituais críticos da nação.

Álvaro Siza Vieira é um deles.
Não gosto de tudo o que tem feito, mas admiro imenso o seu talento e sobriedade.
Hoje li algumas críticas negativas em relação ao seu trabalho de recuperação do Chiado. Considero a maior parte delas injustas.
Lembro-me que quando ele foi escolhido, há quase vinte anos, fiquei um pouco dividido, sem saber o que iria sair dali.
Vários anos depois, ao observar com os meus olhos o resultado final, fiquei extremamente satisfeito. Siza Vieira tinha conseguido manter a alma do Chiado, oferecendo um grande equilíbrio arquitectónico a toda aquela área, demasiado elegante para suportar a existência de mamarrachos, tão em voga.
Várias vozes exclamam que faltam estacionamentos e escolas. Mas não existe hoje o parque subterrâneo no Largo de Camões, a poucos metros do Chiado? E não foi nesta zona (Calhariz) que se encerrou a Escola Secundária David Mourão-Ferreira, por falta de alunos?

10 comentários:

Maria P. disse...

É Português, e ainda bem.
Outro projecto que reforça a minha opinião porque tive oportunidade de conhecer é o conjunto arquitectónico camiliano de S. Miguel de Seide, a "Casa de Camilo - Museu e Centro de Estudos".
Concebido por Siza Vieira, inaugurado a 1 de Junho de 2005, e que compreende um auditório, salas de leitura e de exposições temporárias, gabinetes de trabalho, reservas e cafetaria, entre outros espaços, um lugar de uma harmonia absoluta!

Beijos, Luís M.

Rosa dos Ventos disse...

Eu concordo contigo!
Gosto mais do Chiado agora, em todo o caso aquele dia foi muito negro para todos nós, sobretudo para os habitantes e trabalhadores daquela zona da cidade.

Abraço

Lúcia disse...

Em Portugal fala-se. Sempre. Não há o tique da reflexão. Criticar negativamente é preciso. O Chiado está lindíssimo. Terá, ainda, problemas? Não duvido. Todos da responsabilidade de Siza Vieira? Não, com certeza. Mas desconfia-se muito. Infelizmente.
Beijos, Luis

Alice C. disse...

Eu chamo-lhes invejosos, com todas as letras, Luís.

Criticar sempre foi mais fácil que fazer.

beijinho

CAP CRÉUS disse...

Gosto do Chiado como está apesar de haver ainda espaços feios e ao abandono.
Não gosto do Sza Vieira, engalinho com o ar de "estou-me nas tintas para isto, porque sou muito bom".
Longa vida ao Chiado e sem mamarrachos!

OBSERVADOR disse...

É muito fácil criticar à distância de qualquer coisa.
Como dizes, nem tudo foi bem feito. Mas foi a maioria, pensada por Siza Vieira, que fez com que o espaço em causa não ficasse perpetuado como mais uma dose de nada, tão ao jeito de muita gente.

Cris Caetano disse...

Não existe nenhum arquitecto no mundo que consiga ser unanimidade. E Nelson Rodrigues dizia que "toda unanimidade é burra". E eu concordo.

Siza Vieira é um excelente arquitecto. De algumas de suas obras gosto e outras não. E não posso opinar sobre o Chiado, nesse caso, mas na essência, gosto do Siza.

Beijinhos

Luis Eme disse...

M.Maria Maio, Rosa, Lúcia, Alice, Cap, Observador e Cris, realmente em Portugal até é perigoso quando existe unanimidade sobre alguém vivo...

O que vale é que o Chiado recomenda-se.

Lóri disse...

E porque diabos, bem no centro de comércio de Lisboa, seria necessário colocar uma (ou mais de uma) escola? Há quem sempre arranje motivo para criticar aquilo que não é capaz de imitar. Mais valia estar calado como dizem no Norte. Eu não conheci o Chiado antes do incêndio, mas acho que está muito bem cmo está. Só falta alguém dizer que faltam escadas rolantes para subir as ladeiras. (Que me custa subir, lá isso custa, mas ir à FNAC vale a pena).

Bjs,

Luis Eme disse...

estamos no tempo em que muita boa gente se pudesse, deixava o carro junto ao tapete de entrada de casa, Lóri...

o Chiado ficou próximo do que era, antes do incêndio, mas mais jovem.

a única coisa que não conseguiu criar vida própria foi a Rua do Carmo, a da canção onde as mulheres bonitas subiam o Chiado (UHF...). também era uma agitação subir aquela rua...