terça-feira, agosto 05, 2008

Ainda a Estreia Olímpica Portuguesa

Em 1912 o desporto estava longe de ser a "feira de vaidades" dos tempos mais recentes, pouca gente se interessava por este fenómeno (mesmo os politicos, porque ainda não era sinónimo de mais votos...).
Nesses tempos era perfeitamente normal que os atletas partissem sem qualquer tipo de acompanhamento, para as grandes competições desportivas.
Isto explica um pouco o que sucedeu com Francisco Lázaro, que sem qualquer acompanhamento directivo ou médico, achou que untar o corpo com sebo, fazia com que perdesse menos líquidos, e ficasse em vantagem em relação aos adversários, sem pensar que a sua pele também precisava de respirar...
Até aos anos sessenta, foram muitas as aventuras de atletas portugueses, que eram metidos em aviões, comboios ou paquetes, para disputarem campeonatos da Europa, do Mundo, completamente entregues à sua sorte.
Foi o que sucedeu com os seis bravos atletas que surgem na imagem (de baixo para cima): Fernando Correia, Armando Cortesão, António Stromp, Francisco Lázaro, António Pereira e Joaquim Vital, que partiram no paquete "Astúrias", para Estocolmo, levando como apoio apenas a sua experiência de vida, na estreia olímpica portuguesa...

8 comentários:

Maria P. disse...

Não será esta "feira das vaidades" um exagero nos tempos que correm?!...

Beijos, Luís M.

Lúcia disse...

E a pergunta - como é que conseguiam um esforço tão grande no desempenho, pois que a canseira até lá lhes tomavam as forças. Boa lembrança e homenagem, Luis.
Abraço

isabel victor disse...

Luís Eme, um abraço

Tenho um apreço muito especial por estes atletas ...

Os atletas portugueses são verdadeiros herois !

iv*

Cris Caetano disse...

É mesmo muito recente o apoio aos desportistas, Luís.

Beijinhos

Luis Eme disse...

claro que é, especialmente no futebol, M. Maria Maio...

Luis Eme disse...

e muitas vezes ainda batiam os nossos recordes nacionais, Lúcia...

Luis Eme disse...

pois são, Isabel...

Luis Eme disse...

muito, muito, Cris...