sexta-feira, maio 30, 2008

Um Lugar Comum...

Embora seja um lugar-comum, não deixa de ser verdade: nunca pensei ficar por aqui tanto tempo.
Pensava que um ano já seria uma boa passagem pela blogosfera, só que já passaram dois...
E depois deste blogue ainda tive o "descaramento" de criar mais dois...
E devo confessar que não estou farto. Como acontece com todas as coisas da vida, há dias melhores e outros assim assim, mas ainda nunca senti vontade de fechar as portadas e as janelas e fazer-me à estrada...
Podia pôr-me a falar de estatística, mas isso não vale nada, comparado com as visitas de pessoas que se tornaram especiais, com quem fui criando laços e que são o sal deste mundo virtual, pelo menos para mim.
É por isso que deixei a chave na porta, para que vão entrando e podem fazer de conta que a casa é vossa. Há bolinhos secos na mesa, queijo da serra, pão caseiro, paio, vinho da casa, branco e tinto, sirvam-se...
Também podem colher uma ou outra flor, mas não exagerem, não retirem a beleza aos canteiros...

34 comentários:

Lúcia disse...

Ó Luis Eme
Este post é mesmo aquilo que se encontra em muitas terras do nosso país: bonomia e generosidade do povo! Obrigado pela partilha. E continuação de vida saudável aos blogs.

redonda disse...

PARABÉNS!
Que pena não dar para pegar mesmo um dos bolinhos, ou o queijo, o paio, etc. :)
Gosto dos teus blogues, de vir aqui ler o que escreves, conhecer quadros e pintores e assim também ir conhecendo-te. Ainda bem que entraste na blogosfera!
um beijinho :)

Maria P. disse...

Parabéns!
Também podia dizer muito sobre o que penso deste lugar, mas acho que não é preciso...

Não há arroz-doce?!:)

Beijos, Luís M.

Rosa dos Ventos disse...

Parabéns em 1º lugar e muitos anos de vida!
Podes contar com a minha visita descarada quase diariamente...
E agora com a oferta desses pitéus e até de flores, vou passar ainda mais vezes!

Abraço

Sophiamar disse...

Parabéns, Luís! Em boa hora te conheci e em boa hora fizeste outros blogs.Continua por aqui porque é um prazer visitar-te. Como um bolinho e levo uma flor para plantar no meu canteiro.

Deixo-te beijinhos.

Bem hajas!

alice disse...

muitos parabéns, querido luís :) para mim é um cházinho, se faz favor! e que seja assim por muito mais tempo. que nunca nos faltes! a blogosfera é um lugar mais especial na tua companhia. um grande beijinho *

Pitanga Doce disse...

Isto que dizes de deixar a chave na porta acontecia realmente na aldeia lá pelas terras das Beiras. Era um porta pintada em verde que abria-se pela metade (em cima e embaixo)e onde ficava, nas tardes ensolaradas, uma chave grande e pesada, enquanto a família andava nos campos. Não faz tanto tempo assim. Ou faz?

abraços Luis

Alice C. disse...

Parabéns Luís!

servi-me um bocadinho de tudo. Preferi matar a sede com a água fresquinha da bilha de barro.

Não resisti e tirei uma flor. Só uma.

beijinhos

EMALMADA disse...

Desistir aqui e em Almada é abandonar alguma coisa.
É preciso insistir.
É preciso que as vozes se oiçam e se façam ouvir.
Para desanimar, há muita gente que não sabe fazer mais nada.

As minhas felicitações por todo o trabalho realizado.

OBSERVADOR disse...

Luis

Isto é mesmo um vício!
A blogosfera, quando bem utilizada, é um meio de comunicação por excelência.
Um ano? Dois anos?
Venham mais. Muitos mais.
E, de preferência, com a mesma qualidade.

CAP CRÉUS disse...

Gostei!
Especialmente a parte do queijo, do pão caseiro.
Eu por vezes, sinto-me cansado e apetece-me mudar o rumo da xafarica, mas fico-me pelas intenções!
Continua por aqui.
Abraço

Rui Caetano disse...

Bom fim de semana!

Oris disse...

Parabéns, Luís, pelo blogue e pelos excelentes textos que publicas.
Obrigada pela companhia que me fazes.

Soube-me bem o pão caseiro e o queijo da serra...
Deixo as flores para continuarem a enfeitar a tua casa...
:)

Beijitos

Ponto Verde disse...

Os parabéns aqui deixados ontem, parece que não ficaram registados, por isso reitero os melhores votos para o Em Almada , uma sempre excelente fonte e companhia.

Cris Caetano disse...

Parabéns, Luís! Mas não sou capaz de colher as flores de um jardim tão lindo, aceito o pão caseiro, o queijo da serra, o paio, o vinho da casa: o tinto; e saio satisfeita, por ter te conhecido através da blogosfera e por teres coisas lindas de se ler e por seres um bom amigo.

Beijinhos

Luis Eme disse...

infelizmente já não são muitas, Lúcia, porque muitos bandidos têm-se dedicado a explorar esta bonomia e generosidade de que falas, com roubos do mais miserável que pode haver...

o que gosto mais deste Portugal em extinsão, é das pessoas nos olharem nos olhos e dizerem bom dia ou boa tarde, mesmo que nunca nos tenham visto em parte alguma...

Luis Eme disse...

Olha a Redonda, a mulher da "bola de cristal"... que me lembrou que já andava por aqui há dois anos...

Luis Eme disse...

não me lembrei de tudo, mas claro que havia arroz-doce e papas de milho, M. Maria Maio...

Luis Eme disse...

e é sempre um prazer encontrar-te por aqui, Rosa, com e sem vento...

Luis Eme disse...

com palavras tão simpáticas, bem podias ter levado mais bolos e uma flor de cada qualidade, Sophiamar...

Luis Eme disse...

pois é Alice, a única modernidade da casa são mesmo os chás, de múltiplos sabores, que ficaram bem à vista, no armário.

a chaleira também ficou em cima do fogão...

Luis Eme disse...

na minha meninice na casa dos meus avós, a chave raramente era utilizada.

a porta abria-se apenas com um cordel por fora da porta, Pit...

Era um país mais pobre mas muito mais unido e solidário...

Luis Eme disse...

ainda bem que viste a bilha de barro, com a água sempre tão fresquinha, Alice.

Luis Eme disse...

Concordo, Em Almada.

quando decidir fechar a porta, será uma decisão pessoal e não porque alguém se sente incomodado ou com as orelhas a arder...

Luis Eme disse...

é sim senhor, Observador.

e de partilha, de tudo o que pudemos dar, especialmente amizade.

Luis Eme disse...

Ainda bem que gostaste, Cap.

com tantos profetas da desgraça por aí(até já fazem programas televisivos, com insinuações e insultos), não podemos desistir...

Luis Eme disse...

já se está a acabar, Rui...

Luis Eme disse...

ainda bem que te deliciaste com o pão e o queijo da serra, Anoris...

Luis Eme disse...

Ponto Verde, aqui é o "Casario do Ginjal", que também fica em Almada...

Luis Eme disse...

e eu também fico muito feliz, por teres atravessado o atlântico, para provares estes manjares, Cris...

vague disse...

:)*

Luis Eme disse...

e sempre entraste, Vague?

ou ficaste pelos canteiros?

Lóri disse...

Só tu pra criares essa virtualidade de tudo que há de bom no convívio e nesses ares daí. Eu quero queijo da serra, paio e vinho dos teus lados ou mais abaixo um pouco. E quero vir sempre aqui e ser recebida por ti. E quem sabe ainda fazemos algo parecido, ao vivo e a cores.

Beijos

Luis Eme disse...

é um prazer receber-te, em qualquer uma das minhas casas, Lóri.

e se pudessemos estar, sentados a ver passar o tempo, a conversar e a petiscar, era ouro sobre azul...