terça-feira, abril 17, 2007

A Árvore da Boa Sombra


Depois de visitar o Paul dos Patudos, achei que devia mostrar a "árvore da boa sombra" à Ana Paula, para que ela visse a beleza deste monumento, que foi arrancado à terra que o viu nascer, crescer e viver durante mais de dois séculos.

Não quero alimentar polémicas, até porque este tema foi debatido há pouco tempo no blogue Em Almada, com a minha participação. O que não me inibe de dizer, quase dois anos depois, que continua a ser um acto indesculpável e um atentado ao Património Almadense.

Na altura escrevi uma crónica no "Jornal de Almada", cujo texto teve o seguinte destaque na primeira página do semanário almadense: Era um ex-libris da cidade, um monumento que a natureza preservara, durante anos e anos, para alegria de todos os almadenses. Até que, pelos vistos, houve alguém que se achou com poder suficiente para decidir o futuro da árvore, que pertencia a todos nós, como se ela estivesse ali a mais e já fosse tempo de a transformar em lenha.

23 comentários:

EMALMADA disse...

Nunca será excesso falarmos e denunciarmos os atentados à natureza e ao que constitui património natural de uma terra e das suas gentes.
O abate daquela árvore, no Jardim do Castelo, só foi possivel porque estes senhores que foram eleitos em democracia, se comportam como iligítimos ocupantes de Almada, colonizadores, uma coisa que eles dizem repudiar.
Sendo natural de Almada, agradeço ter voltado ao assunto.
Não devemos esquecer nem ficar calados perante actos destes.
Como vamos dizer aos nossos filhos que ali existia uma árvore que todos nós admiravamos e na qual tinhamos algum orgulho?
Criminosos!

Repórter disse...

Fechamos os olhos e seguimos?
Isso é o que os usurpadores de opiniões querem.
Nunca!!!

Entre linhas... disse...

Atitudes de gentes insensíveis que estrangulam aos poucos e poucos otudo o que faz parte do nosso património sem dó nem piedade.

Bjs Zita

Maria P. disse...

Parabéns Luís, simplesmente.

Luis Eme disse...

Claro que não, "Em Almada".

Uma das nossas funções enquanto almadenses, deverá ser a defesa do património, doa a quem doer.

Luis Eme disse...

Não fechamos os olhos nem a boca, Repórter.

E como ainda temos a possibilidade de dar "corda" aos dedos...

Luis Eme disse...

Atitudes quase sem classificação, "Entre Linhas"...

Eles esquecem-se que não andamos todos a dormir.

Luis Eme disse...

Depois da Ana Paula nos ter mostrado aquelas belezas...achei que também devia mostrar a nossa árvore, que infelizmente apenas pode ser observada em fotografias, Maria...

Blackbird disse...

Para mim, na minha opinião, esta árvore foi tirada dali porque estava a tapar a vista sobre Lisboa. Deu muito jeito ao "dono" do prédio novo que nasceu ali. Pois é que se calhar até deu para cobrar mais uns cobres na venda das casas desse prédio.

Abraço

Ana Patudos disse...

Obrigado Luis pelo teu post e pelas tuas palavras.
Como foi possivel arrancarem tal árvore??
Que mal estava ali a fazer?
As árvores dão-nos sombra quando temos calor...
renovam-nos o ar de que tanto precisamos para viver...
Será que o que interessa é a lei do cimento, do betão?
Vivemos num mundo completamente descaracterizado.
Ainda nos restam as crianças que são sensiveis ao ambiente e á floresta.
É de uma hipocrisia, as autarquias, sejam elas quais forem, comemorarem os dias da floresta e da árvore e depois a seguir cometem um crime destes, como aqui em Almada...
Luis é muito triste contemplar a beleza da tua árvore aí de Almada e saber que já não existe.
Foi de louvar a tua revolta para tal situação. Todos ficaram mais pobres...
beijos
Ana Paula

Rosa dos Ventos disse...

E assim vamos dando conta de crimes que se cometem um pouco por todo o lado, por gente eleita pelo povo cujo património deviam acarinhar, proteger e realçar!
Uma lástima!

EMALMADA disse...

O que é a Almada Solidária da dona Emíla?
É a distribuição de subsídios às células do Partido disfarçadas de associativismo popular e a alguns mais?
Solidariedade também é respeitar os valores de uma comunidade, de uma população, respeitar o seu património.
A Oposição em Almada alguma vez terá confrontado a presidente com o crime perpetrado sob as suas barbas?
Deveria ter obrigado a presidente a responder porquê o abate da árvore.
Sei que muitos almadenses, mais idosos se sentiram violentados com o que foi feito.
Os actuais autarcas pensam que são donos de Almada, que estão numa coutada sua.

Luis Eme disse...

"Blackbird" estás a fazer confusão. No Jardim do Castelo, tirando o restaurante que existe, bem defronte do miradouro, não existem mais edificações... à é verdade, e o coreto, também centenário, julgo eu, apesar das restaurações.

Luis Eme disse...

Dizes muito bem, tanta coisa boa que as árvores nos dão, Ana Paula, além das suas belas sombras...

Mas o que está feito, feito está...

Luis Eme disse...

Crimes silenciados, que só agravam mais a situação, Rosa.

Luis Eme disse...

Muito pertinente este último comentário do "Em Almada".

Pois, onde andará a oposição?

É por isso que eles pensam que são os donos da "quinta"...

Blackbird disse...

Olá Luis...eu estava a falar do edíficio branco que se pode ver na tua foto.
Foi esse edíficio que foi construído à coisa de uns 2 ou 3 anos.
Não estava a falar no restaurante "Amarra o Tejo" que se devia chamar o "Tapa o Tejo". Fique claro que não tenho nada contra ele, que até sou cliente dele...só não concordo com a sua localização...

abraço

Cris Caetano disse...

É um crime matar uma árvore, sempre! Pior ainda com o consentimento das "autoridades" (in)competentes.
E essa na foto era esplendorosa...incomprensível..triste, enfim.
bjo

Luis Eme disse...

É possível que quem more nesse edifício, que esteve muito tempo em reconstrução, se sinta mais feliz sem a árvore à frente...

Gostos...

A tua sugestão é boa, Blackbird. Por causa do teu "Tapa o Tejo", lembrei-me de outro nome, "O Tejo é só para Mim"...

Luis Eme disse...

Exactamente Cris.

Eva disse...

Eu li bem?
Cortada para lenha? e porquê? alguém me sabe explicar?

Luis Eme disse...

Porque o senhor engenheiro fulano tal do municipio olhou para ela e achou-a velha, Eva.

Pudera! Como mais de duzentos anos, dificil era um bocado achá-la nova.

Estes atentados praticam-se de norte a sul, e os seus autores continuam a sua vidinha, impávidos e serenos, como se estivesse tudo bem...

Vasco Pires disse...

Recentemente deitaram abaixo a última "Phytolacca Dioica" que havia no concelho, que era um exemplar mais novo da que referem, mas que tinha um tamanho considerável, estava situada no mesmo jardim, por trás do coreto e estava em óptimo estado.

Estive lá dois dias antes de a deitarem abaixo e como sempre contemplei-a e gozava de uma óptima saúde, confirmada pela frondosa e folhosa copa.

Ainda estou chocado com o acontecimento. No 'buraco' deixado no local onde se encontrava o tronco encontra-se agora um monte de pedras... Uma VERGONHA!!!