segunda-feira, abril 16, 2007

O Jornalismo e as Teorias de Conspiração


A recente condenação do "Público", por ter publicado uma notícia verdadeira, sobre as dividas do Sporting, é das coisas mais chocantes que têm acontecido no nosso jornalismo, nos últimos anos. Fica mesmo no ar a sensação de que a verdade deixou de ser uma coisa relevante para a justiça portuguesa.
É mais uma notícia para misturar no "tacho" das várias caldeiradas, que têm sido cozinhadas nos últimos tempos, no jornalismo, na política, na economia e na justiça, e que têm sido motivo de várias especulações.
Os peritos das "teorias de conspiração", que conseguem provar que dois e dois são cinco, desta vez nem precisaram de se esforçar muito para ligar os acontecimentos mais polémicos dos últimos tempos, desde a OPA da Sonae à Portugal Telecon que foi parar à gaveta, aos vários diplomas duvidosos de engenheiro de Sócrates, denunciados no "Público", à agora condenação do mesmo jornal, no tal processo chocante do Sporting .
Por muito bem intencionados que sejamos, são de facto coincidências a mais.
E o mais engraçado é terem como protagonistas, Belmiro de Azevedo, o homem mais rico de Portugal e dono do "Público", e José Sócrates, primeiro-ministro e um dos homens com mais poder do nosso país, que por acaso até é accionista do Benfica...
Será que o "Público" vai ter de pagar mesmo os 75.000 euros sentenciados pelo Supremo Tribunal de Justiça?
O desenho do nossso amigo "Zé", que acompanha o texto, é da autoria de Rui, que durante anos animou a "Visão" e "O Jornal".

17 comentários:

Maria disse...

O que lê pouco está agora em Belém...
E amanhã à tarde vamos ter mais episódios da novela Univ. Indep....
Estou à espera que digam que pode ter doutoramento e tudo...hehehe
Que país estamos a fazer, Luís?

Um abraço

AnaG. disse...

Não sei bem porquê, mas não estou a gostar nada do rumo que este País está a tomar...

Que exemplos recebemos de quem nos governa???

Bjo

Minda disse...

Parece que estamos a viver num país do "faz de conta" onde o lema é: os direitos são meus e os deveres teus.
No meio desta confusão, foi-se a ética profissional e ficou-se o oportunimo.
Por isso, não admira que a justiça (?) ande completamente baralhada...
Um abraço.

Debaixo do Bulcão disse...

E parece que, se o Público recorrer da sentença para as instâncias europeias, pode muito bem ser o Estado português obrigado a desembolsar o dinheiro da tal indemnização, daqui a uns tempos...
Eu cá só não digo que a decisão do STJ é, além de tudo o mais, irresponsável e lesiva para as finanças nacionais, porque isso poderia ofender o bom nome de alguém...

Vitorino

Alice C. disse...

Concordo contigo, há realmente coincidências a mais.

Parece que é hoje que a Montanha da Independente vai parir mais um rato. Ou sairá de lá algo mais volumoso? Sinceramente, não acredito, Luís.

Repórter disse...

Luis
Recorre, por favor, aos teus arquivos e puxa um comentário onde se falava de jornalismo e jornalistas.
Analisa a minha opinião. E confere se não há nela algo de substancialmente parecido.

Luis Eme disse...

Havia a "bomba" foi adiada...

É um país cada vez mais "latinamérica", apesar de pertencermos à Europa, Maria.

Luis Eme disse...

Acho que ninguém está a gostar, Ana...

Luis Eme disse...

Não é só a justiça, anda tudo baralhado, Minda.

O problema é que a "confusão" serve sempre os interesses de alguém...

Luis Eme disse...

Estamos cá para ver os próximos episódios, Vitorino.

Luis Eme disse...

Pois, parece que da "montanha" não vai sair grande coisa... começou logo mal, foi adiada um dia, Alice.

São mais coincidências para juntar ao molho.

Luis Eme disse...

Ao termos pensamentos próximos nesta e noutras matérias, Repórter, penso que estamos no lado certo.

José Ferreira Marques disse...

Caro blogger (e comentadores que me antecederam):
As vossas intenções são (foram) certamente as melhores, mas enganaram-se num pormenor importante: A notícia do público era falsa.
Leiam o acordão (e não apenas as parangonas).
Cumprimentos e felicidades para o Casario

Luis Eme disse...

Caro Ferreira Marques, agradeço o seu esclarecimento.

Mas o que o Sporting diz esta longe de ser "lei". Basta ver o caso da transferência de João Pinto, que toda a gente noticiou que tinha saido do Benfica a custo zero para o Sporting e passados alguns anos, descobrimos os milhões envolvidos e a maneira como se procurou ocultar tudo isto dos adeptos de ambos os clubes.

Segundo o "Público" a notícia era verdadeira. E, muito sinceramente (apesar de toda esta rapsódia da Independente...), este jornal merece-me mais credibilidade que um jornal de um clube, que tem necessariamente que defender os seus interesses.

Mas não é só a veracidade da notícia que está em causa, são os 75.000 euros que o jornal tem de pagar de indeminização, algo que não se pede a assassinos, neste nosso país. Concerteza que não é com atitudes destas que se credibiliza a justiça.

José Ferreira Marques disse...

Caro Luis Eme:
Ei só pedi para ler o acordão, não para acreditar no que diz o Sporting.
É que o Público nunca fez prova de ter escrito a verdade, mas ficou provado que o que escreveu prejudicou o Sporting. Quem causa danos paga ou vai preso, diz a lei.

Cumprimentos

Luis Eme disse...

Eu sei que o José Ferreira Marques, só pediu para ler o acordão. Eu não falo dele, para não colocar a justiça e os juizes mais em causa, mas o problema maior reside mesmo no que diz o acordão.

E, posteriormente sairam notícias em vários jornais que davam conta da veracidade da notícia do "Público".

Repórter disse...

Essa a questão. Vários outros órgãos da dita comunicação social fizeram a tal referência.
E afinal onde está a razão?
Gostava de saber.