sexta-feira, fevereiro 23, 2007

Quadras Para Todos os Gostos


Faz aqui falta uma trova
Duma criança oprimida;
Ela que fale da fome,
Ela que fale da vida

16 comentários:

Maria disse...

Este livro, na minha estante, está velhinho, velhinho, velhinho... de tanto uso...

Tudo o que fizermos aqui para recordar o Zeca é muito pouco... mas é o que podemos fazer...

Maria P. disse...

Excelente! ELE marece tudo, jamais será esquecido.

Bom fim de semana*

Papo-seco disse...

do branco ao tinto

Rosa dos Ventos disse...

Se vieres..."traz um amigo também! "
O Zeca é um dos nossos!

Ana Patudos disse...

Passa no meu Paúl dos Patudos e junta-te a nós numa modesta , mas sentida homenagem
bom fim de semana
Ana Patudos

Luis Eme disse...

Para ti Maria:

Fui um dia ao Alentejo
Ver uma cooperativa
Só lá vi trabalho honrado
Pão, amor e alegria

Luis Eme disse...

Para ti Maria P.:

Os gatos estão enfuscados
Eu estou muito contente
Glória ao Primeiro de Maio
25 de Abril, sempre!

Luis Eme disse...

Para ti papo-seco:

Vinho velho vonho novo
Tudo a terra pode dar
Dêem as pipas ao povo
Só ele as sabe guardar

Luis Eme disse...

Para ti Rosa:

Quando uma lancha se afunda
Nunca a culpa é do patrão
É sempre de quem se amola
Lá no fundo do porão

Luis Eme disse...

Para ti Ana:

Já lá vem o sol a pino
Despe a libré de lacaio
Este tempo é de menino
Que nasce no mês de Maio

jcfrancisco disse...

O Zeca chegou a jogar à bola na Académica treinado pelo húngaro Peics. Um dia deu-me uma peqeuna entevista para A BOLA não qual dizia sobre a Académica: «Aquilo era como um partido político...» Ai que saudades...

Luis Eme disse...

Zé do Carmo, «Ai que saudades...» é uma expressão que nos leva para outros jornalismos e para outros jornalistas, que continuam a povoar o meu imaginário, felizmente.

Alice C. disse...

Será que já esgotaste as quadras? Ou ainda tens alguma para mim?

Luis Eme disse...

Para ti Alice:

Vejam bem
Que não há
Só gaivotas
Em terra
Quando um homem
Se pôe
A pensar

isabel victor disse...

Já me ía embora ... eis quando vejo este post e parei ! Belíssimo ...

Lamento que José Afonso, valor intemporal da nossa cultura, património de humanidades, só seja lembrado, nas televisóes e orgãos públicos de informação, de 20 em 20 anos (e as gerações que entretanto se formam ?). Que pobre de espírito está a ficar este país ! Que ingrato ! Que autista ...

Luis Eme disse...

É verdade Isabel.

Nãos sei se é o país, se são as pessoas que tem poder... essas sim, autistas, ingratas e muito manipuladoras...