segunda-feira, junho 12, 2006

Romeu Correia Deixou-nos há Dez Anos


Romeu Correia (1917 - 1996) já nos deixou há dez anos...

Não sei como começar este pequeno texto, de homenagem à maior figura literária do concelho de Almada no século XX.
Podia falar das suas qualidades como romancista, dramaturgo e contador de histórias, mas isso já é sobejamente conhecido por todos os almadenses.
Prefiro contar-vos como nos conhecemos. No Outono de 1990 tive a felicidade de o entrevistar para o "Record" e conhecer a sua grande dimensão humana. A partir desta conversa vieram muitas outras, que deram lugar a uma amizade que permaneceu viva até ao dia 12 de Junho de 1996...
Foi ele que me abriu as portas da nossa cidade de par em par, mostrando-me o melhor da Cidade e das suas Gentes, com a sua extraordinária qualidade de contador de histórias. Devo confessar que antes de o conhecer, Almada não passava do meu "dormitório".
Se hoje também escrevo sobre Almada, devo-o, em parte, ao Romeu, pela forma feliz como "pintou" toda esta bela Margem Sul.
É por isso que, em nome da nossa amizade, não posso, nem devo deixar passar em claro, o silêncio a que foi votado pelo Poder Local.
Sei que foi alvo de muitas homenagens e honrarias em vida - é das poucas pessoas que assistiu à colocação de uma placa toponímica com o seu nome - mas isso não dá o direito a muitos dos que o usaram, inclusive como bandeira da força política que nos governa há trinta anos, de fazerem de conta que ele não existiu.
O Fórum a que deram o seu nome, continua sem qualquer sinal da sua presença. Não existe sequer uma simples placa com o seu nome e a uma pequena referência ao Homem de Letras. Porquê?
Mas não é só a Autarquia que o trata desta forma... nunca ouvi tanta gente a vulgarizar a sua personalidade e a sua obra literária.
É por isso que digo: «Não te preocupes Romeu, ainda tens meia dúzia de amigos que conseguem dar conta dos teus detractores, que em tempos que já lá vão, enchiam-te de palmadinhas nas costas...
Em relação às pessoas que estão no poder, já deviam ter percebido que ele não é eterno... a história diz-nos que há sempre uma cadeira em desiquilibrio à espera de um "bom ditador"...»

1 comentário:

João M. disse...

Não conheci Romeu Correia mas já li um livro dele, o "Trapo Azul", e gostei muito. Esse episódio de não existir nada no "Fórum" que nos diga quem é Romeu Correia, é no mínimo lamentável. Mas da Câmara de Almada espera-se tudo!