quarta-feira, maio 01, 2013

Um Primeiro de Maio com Muita Gente Presa ao Trabalho


Puxei pela memória e não encontrei um 1º Maio como este de 2013, com tantas lojas e cafés abertos em Almada.

Sei que é um dos sinais da crise e também do desemprego.

Abrem-se as portas porque é preciso fazer dinheiro, é preciso fintar a crise.

Muitos dos empregados são silenciados pelos números superiores a um milhão que enchem os telejornais, porque não querem engrossar esta lista.

Não consigo encontrar uma outra palavra, senão tristeza, para identificar este 1º de Maio de 2013, em Almada...

4 comentários:

Rosa dos Ventos disse...

Infelizmente não o pude sentir como dia de festa!
Estou a viver um tempo suspenso...

Abraço

Cris Caetano disse...

É mesmo assim, tem de se aproveitar todos os dias, é compreensível. E em compensação, a padaria aqui na rua abriu e tinha mais empregados que o habitual para um dia de semana, e achei uma falta de respeito com os trabalhadores. Se eu posso ficar sem pãozinho um dia, todo o resto também podia.

Beijos, Luis

Luis Eme disse...

estamos, Rosa.

Luis Eme disse...

este mundo está, estranho, Cris.

e nós também.