sábado, setembro 18, 2010

Fim de Tarde no Olho de Boi

As margens do rio, a Sul e a Norte, são pródigas em miradouros, naturais ou "inventados" pelo homem. Devo conhecer quase todos, em Lisboa e Almada.

Reparo agora, ao escrever, que a maior parte das vezes visito-os sozinho.

E como gosto muito de andar, sozinho ou bem acompanhado, é fácil descobrir coisas a que ainda não tinha dado a atenção devida.

Claro que andar sozinho é diferente, faz com que seja mais fácil encontrar-me comigo próprio, falar com as paredes ou com as águas do rio, sem cair no ridículo.

Foi desta forma que quando dei por mim, estava rente ao Cais da antiga Companhia de Portuguesa Pesca, depois de ter percorrido todo o paredão do Ginjal, sentindo o vento agradável dos fins de tarde de um Verão farto em calor.

8 comentários:

Observador disse...

Esta fotografia é um espectáculo!

Rosa dos Ventos disse...

Se corresse por aqui um rio eu não faria outra coisa, ficaria pasmada horas a fio a vê-lo correr...
Assim delicio-me com o rio da tua aldeia!

Abraço

CAP CRÉUS disse...

Temos um rio lindo e duas margens, cada qual com a sua beleza!

Cris Caetano disse...

Fantástico... e tenho saudades de passeios solitários em lugares com quase ninguém ou sem viva alma mesmo, aqui não me atrevo.

Beijos, Luis

Luis Eme disse...

estava um fim de tarde espectacular, Observador...

Luis Eme disse...

e é um rio daqueles, Rosa...

Luis Eme disse...

sem dúvida, Cap.

e a Margem Norte vai ficar um espectáculo.

Luis Eme disse...

deve ser complicado sim, Cris, passear ai.

eu também sou um pouco inconsciente, passeio em sitios pouco recomendáveis. não sinto medo nem penso nos perigos (até um dia...)