terça-feira, abril 20, 2010

A Luta pela Sobrevivência dos Pequenos Clubes

O Almada Atlético Clube foi durante anos o clube desportivo mais representativo da Cidade.

Nasceu da fusão entre o União Sport Clube Almadense e o Pedreirense Futebol Clube, a 20 de Julho de 1944, com a ambição de se criar um clube melhor e maior em Almada.
Em parte o objectivo foi cumprido.
O futebol e o andebol sempre foram (e continuam a ser...) as modalidades mais importantes do clube. Se no futebol nunca atingiu o escalão máximo, o mesmo não aconteceu com o andebol, que andou muitos anos na primeira divisão e foi uma excelente "fábrica" de campeões e internacionais da modalidade.
É por tudo isto que dói saber das suas dificuldades para enfrentar o dia a dia, porque as receitas são cada vez menos, ao contrário das despesas...
Este é o cenário cada vez menos animador do desporto popular em Portugal, com responsabilidades repartidas pelo Estado, pelas Autarquias Locais e pelos dirigentes desportivos.
Se não se fizer nada, não tenho dúvidas que centenas de clubes irão fechar as portas, de Norte a Sul, nos próximos anos.

3 comentários:

Observador disse...

Se o Almada A.C. está como está pode agradecer a alguns senhores que por lá passaram.
Geriram o Clube dando sempre passos maiores que as pernas.

Dizes, Luís, que:



É preciso recordar, para fazer justiça e dar o seu a seu dono, que a verdadeira fábrica de grandes jogadores de andebol foi a Escola (então Comercial e Industrial) Emídio Navarro.
Daí, sim. Grandes vultos da modalidade se espalharam pelo Almada e, mais tarde, por outros Clubes.

É pena, dói, ver o estado a que o AAC chegou.
E a dura realidade aponta para o aniquilamento.

Já agora, dizer que nem sempre os interessantes subsídios/apoios que a Câmara dava seriam bem geridos.

Observador disse...

Saltei algum texto.

Assim, a seguir a: Dizes, Luis, que:
deve acrescentar-se:

Se no futebol nunca atingiu o escalão máximo, o mesmo não aconteceu com o andebol, que andou muitos anos na primeira divisão e foi uma excelente "fábrica" de campeões e internacionais da modalidade.

Continue-se a leitura em: "É preciso recordar..."

Lamento o lapso.

Luis Eme disse...

claro, Observador.

mas apesar disso, não deixa de ser preocupante que os apoios sejam cada vez mais reduzidos, ao ponto de acabar com o chamado desporto popular. qualquer dia, todos os miúdos têm de pagar para fazer desporto, como já acontece na "indústria" (ou seré comércio?) do futebol...