segunda-feira, agosto 24, 2009

Somos Pouco Exigentes

De uma forma geral somos pouco exigentes connosco e com os outros.

Esta é a explicação mais fácil que encontro para explicar a forma como apoiamos a manutenção no poder (sim, mesmo que seja de mãos nos bolsos, não votando... aliás essa deve ser a principal ajuda que esta gente deve ter...) de Alberto João Jardim, Valentim Loureiro, Fátima Felgueiras, Isaltino Morais, Mesquita Machado, a todos os chamados "dinossauros", que acham perfeitamente normal estarem há mais de vinte anos à frente de uma Autarquia.
E todos eles dizem: «fomos nós que fomos escolhidos pelo povo, por isso temos toda a legitimidade para governar como achamos melhor.»
Terão mesmo? Têm. E a culpa é de todos os tipos que viram as costas aos problemas, que têm a lata de dizer que a melhor arma de protesto é a abstenção.
Infelizmente essa é a arma que tem mantido esta gente no poder, que ano após ano, vai adquirindo novos tiques ditatoriais.
Por isso continuem a esfregar as esquinas, com as mãos nos bolsos e os olhos postos no voo dos pombos (aí sim, pode vir surpresa...).
Toda esta prosa, porque tenho dificuldade em perceber que se coloque um tapete de alcatrão novo e depois se espere (já passaram três semanas...) o tempo que lhes apetecer, para acabar o serviço, enquanto as crateras vão crescendo à volta das tampas de esgoto. Esta fotografia é de Almada (quase frente à Escola Emídio Navarro), mas acaba por ser um retrato do nosso país. E também é uma forma de "publicitar" o trabalho da Autarquia, desta vez real, sem maças e sem louras...

10 comentários:

Cris Caetano disse...

Esqueceram... pura e simplesmente e depois como não há quem fiscalize o trabalho pronto... dá nisso.

Beijinhos

Rosa dos Ventos disse...

E há quem faça da democracia uma monarquia e passe o poder aos filhos...
E o povo gosta! :-((

Abraço

Observador disse...

Situações dessas (foto) estão espalhadas pelo Concelho.

Trabalho mal feito e fiscalização inexistente.

O que dizer mais se continuamos a ver o mesmo tipo de disparates?

CAP CRÉUS disse...

Até que podia ser só em Almada, mas não é...

np disse...

Se não é só em Almada e é um retrato do país, então estas situações são transversais a todos, se assim é de que adianta mudar?
Só se for para lá da fronteira seja a oriente ou a ocidente.

Luis Eme disse...

só se lembram do que lhes apetece, Cris...

Luis Eme disse...

o nosso povo é muito estranho mesmo, Rosa...

Luis Eme disse...

sim, estão espalhados em todas as ruas onde colocaram um tapete de alcatrão, Observador,

tanta incompetência, e claro, falta de fiscalização.

Luis Eme disse...

eu sei, Cap, os maus exemplos são sempre seguidos de norte a sul...

Luis Eme disse...

vale sempre a pena mudar, NP, só assim o mundo avança...