domingo, agosto 02, 2009

O Farol Vermelho

Outra das polémicas que tem visitado as mesas de café e as esquinas de Almada é a cor do Farol de Cacilhas, inaugurado a 18 de Julho.

A questão que todos levantam é o porquê do vermelho e não o verde, que toda a gente conheceu até finais da década de setenta do século passado?
Os responsáveis defendem-se com a existência de escritos em que se fala que a sua cor inicial era verde (na cúpula) e vermelho (na torre). Mas o povo que sempre o conheceu verde (praticamente ao longo de todo o século vinte) não vai em "histórias" e não perdoa a mudança, associando a escolha à "cor política" que governa Almada há mais de trinta anos.
Embora eu goste da cor, penso que se o objectivo era manter a tradição, o verde fazia mais sentido. E era uma boa maneira de se acabar com os olhares desconfiados, que não aceitam que o Farol seja usado para salientar a "Cidade Vermelha"...

22 comentários:

António José disse...

Regulamentos internacionais determinam de forma clara as cores dos farois: Vermelhos, podendo em casos especiais ser brancos ou, poucos, vermelhos e brancos. Em todos o País são estas as cores. O próprio Farol de Cacilhas durante a maior parte do período em que funcionou foi vermelho, desde final do século XIX até meados(?!) do século XX. Não há registos históricos porque é que nos últimos anos, em Cacilhas, apresentou a cor verde.(em jovem, quando diariamente atravessva o Tejo, também me recordo do verde que ostententava) Nos Açores, para onde foi depois de ser desmontado em Cacilhas, e onde funcionou até há poucos anos, esteve pintado de branco. Agora, em Cacilhas, foi a Marinha que determinou a cor que actualmente apresenta, tendo sido amplamente explicadas explicadas as razões, pela Autoridade Nacional de Farois.
António Matos

Luis Eme disse...

caro vereador António Matos, não me custa acreditar que a Autarquia tenha sido alheia à escolha da cor do farol.

no entanto devo acrescentar que o farol de Cacilhas agora é apenas um monumento, não tem qualquer utilidade como farol, pelo que não deveria estar abrangido por estes regulamentos. em nome da tradição, penso que se deveria ter mantido a cor verde.

mas como disse, até nem desgosto deste vermelho...

Liberdade disse...

Consultem este link, é excelente e podem ver como os Faróis Portugueses são na sua maioria em alvenaria e pintados de branco. O vermelho aparece só na "lanterna" e nem em todas.

O resto é treta e vontade de marcar a porta da "Almada Comunista".

http://aeiou.expresso.pt/farois-de-portugal=f499027

Cris Caetano disse...

Eu os prefiro brancos com o topo vermelho. Gosto do verde nas portas dos casarios antigos do Porto. E me surpreende que ainda se pense no vermelho como o símbolo do comunismo, me lembro que a palavra 'encarnado' surgiu para marcar alguma diferença entre o vermelho dos comunistas e o "outro" vermelho... acho isso uma confusão desnecessária. Hoje todo mundo sabe que os comunistas não comem criancinhas (desculpe, mas não me contive a usar uma certa piada).

Acho interessante quando uma observação a respeito de algo causa alguma polêmica. :)

Beijinhos

Blackbird disse...

"Agora, em Cacilhas, foi a Marinha que determinou a cor que actualmente apresenta, tendo sido amplamente explicadas explicadas as razões, pela Autoridade Nacional de Farois."

OI? Percebi bem? A marinha é que determinou a cor?

Essa é boa! Então a marinha não sabe as leis?
Segundo as normas de navegação e podem ir confirmar se quiserem, qualquer bóia de navegação ou farol que esteja do lado direito de quem entra a barra tem que ser OBRIGATÓRIAMENTE verde!
É assim que se navega em todo o mundo.
Para cumprir com as normas, se vou a entrar a barra tenho que contornar aquele farol pelo o meio do Largo de Cacilhas!

Agora espantaram-me!!!

Luís bom regresso!

Abraço

Liberdade disse...

Cris Caetano,

Todos sabemos que os comunistas não comem criancinhas ao pequeno almoço, mas em Almada andam a comer-nos o desenvolvimento há 35 anos e a liberdade todos os dias.

É por isso que eu defendo que é hora de mudar.

Cumpts

Rosa dos Ventos disse...

Gosto de faróis, talvez por ainda não ter encontrado rumo.
Se a cor é a indicada para o lugar, substituindo o verde que está na memória dos almadenses não sei...
Só sei que também pode ser um sinal premonitório de mudança e bem visível ao longe! :-))

Abraço

Observador disse...

Em que ficamos?

Ao que parece o senhor vereador Matos deu-se ao trabalho de aqui vir, tenho a certeza que com boa intenção, mas deixou tudo ainda mais confuso.

Mas não há ninguém que tenha um grau de conhecimentos suficiente para esclarecer?

O(a) Blackbird falou e deu na "mouche".
Temos que concordar com ele(a) pois as regras são claras e não é a Marinha que determina o que quer que seja.
A Marinha limita-se a cumprir.

Do que está legislado, resta saber se o "actual" farol está em serviço ou se é apenas um monumento sem qualquer utilidade a não ser a de devolvido?
Se não estiver em actividade, não importa a côr. Nem interessa se está do lado esquerdo ou direito da forma como se entra na barra.

SE alguém quiser fazer o favor de explicar o porquê da cor vermelha, faça favor.
Mas apenas por curiosidade.
Para mim até podia estar pintado às riscas ou aos quadrados.

Obrigado

np disse...

Comer a liberdade e o desenvolvimento?
Oh! Cris Caetano antes as criancinhas e, já agora, as mães delas e, com um pouco de jeito, os pais também.
Mas ok, ponham lá outros, daqueles que abrem contas na Suíça, que têm sacos sem fundo não se sabe bem para que mas sabe-se bem para quem e que deixam os respectivos municipios endividados.
Com respeito ao vermelho, será tão mesquinho atacá-lo como defendê-lo. A propósito de que cor são os gigantescos e bonitos cartazes do PS?

np disse...

Peço desculpa à Cris, referia-me, obviamente, ao Liberdade

J.S. Teixeira disse...

Isaltino Morais: 7 anos de prisão. Finalmente fez-se justiça! Vejam algumas comparações no blogue O Flamingo.

Luis Eme disse...

sim, Liberdade, o farol de Cacilhas está longe daquilo que se entende por um edifício de alvenaria de vigilância marítima, não é por acaso que já está no interior do Tejo.

e agora até é apenas um momunento...

Luis Eme disse...

o problema, Cris, é que muitas vezes não há "fumo sem fogo", dai a polémica...

Luis Eme disse...

obrigado pela dica, Blackbird, bem pertinente e que contraria a "tese oficial"...

Luis Eme disse...

olha que não, Rosa...

Luis Eme disse...

ficamos como estamos, Observador. não acredito que pintem o farol de verde...

mas acho engraçado que tratem um simples monumento como se se tratasse de um farol no activo...

Luis Eme disse...

claro NP, mas as justificações dos responsáveis estão longe de ser convincentes...

Luis Eme disse...

Teixeira vai lamber sabão.

Liberdade disse...

A questão da cor do Farol só importante na medida em que revela uma certa forma de exercer o poder. Aqui tudo tem de ser carimbado com o anel do poder vermelho, mesmo que isso signifique passar por cima da memória colectiva dos almadenses.

A referência à construção em alvenaria foi apenas para contrariar a ideia, aqui defendida, de que os faróis nascem vermelhos... não é verdade. E mesmo quando são estruturas metálicas ou de betão são geralmente brancos.

Mas de facto hoje o Farol de Cacilhas já não tem qualquer utilização na navegação fluvial é apenas um símbolo do passado.

Mais uma razão para manter o verde da nossa memória. Embora eu goste muito do vermelho do meu SLB.

Saudações vermelhas (desportivas...).

Luis Eme disse...

sem dúvida, Liberdade, o Farol hoje é um marco da história de Cacilhas mas que não se intromete na navegação fluvial.

Al-Ma'dan disse...

Estou com o Liberdade,
De facto a cor pouco interessa, se bem que o vermelho seja a minha cor preferida, e não porque seja comunista (lagarto, lagarto, lagarto) mas porque a cor me agrada e nada mais.
De qualquer forma, se o farol é actualmente apenas um monumento poderá ter qualquer cor, e se a cor que todos os almadenses vivos lhe conheceram no passado era o verde não entendo que o tenham pintado de vermelho. Na minha opinião, esta polémica revela mais uma vez a forma de exercer o poder de MESousa: despótica e auto-suficiente.
Sim, também eu defendo que a nossa Almada já foi suficientemente prejudicada por esta senhora ao longo das últimas duas décadas.

Luis Eme disse...

às vezes as pessoas dão tiros nos pés sem se aperceberem, acho que foi o caso, Almadan.

e nem a tentativa de "empurrar" as responsabilidades para a Marinha os salva do equivoco...