sábado, agosto 08, 2009

A Generosidade de Raul Solnado

Raul Solnado deixou-nos, hoje.

A sua presença em Almada, a 6 de Junho de 2007, na "Tertúlia do Dragão Vermelho", a convite da SCALA - Sociedade Cultural de Artes e Letras de Almada, uma pequena associação almadense, explica um pouco a sua grandeza como ser humano.
Este foi o texto que escrevi há dois anos, para ser distribuído pelos tertulianos, que tem o autógrafo do Raul para o meu filho...

7 comentários:

Rosa dos Ventos disse...

Foi, de facto, um Homem bom e um grande Artista.
Acompanhou-nos, ajudou-nos a passar tempos difíceis,fez-nos rir e pensar durante dezenas de anos!
Gostei do teu texto e deves ter um enorme orgulho em tê-lo escrito e o Miguel vai guardá-lo como uma bela recordação!

Abraço

tulipa disse...

“A frouxidão no amor é uma ofensa,
Ofensa que se eleva a grau supremo;
Paixão requer paixão, fervor e extremo;
eu ardo, eu gemo; Eu choro, eu desespero,
eu clamo, eu tremo…”
Andando pela net, descobri esta poesia de Bocage.
Como estou de acordo com o 1º dos versos:
“A frouxidão no amor é uma ofensa…”
Pergunto, qual a tua opinião?
Vem, diz-me o que achas.
Para mim:
No amor tudo deve ser sentido e vivido com bastante intensidade.
Beijos

Aproveito para desejar uma excelente semana.

tulipa disse...

Excelente homenagem a Raul Solnado.

Teu filho guardará com gosto esse autógrafo tão valioso.

Observador disse...

Feliz de quem, como o teu filho, pode guardar um "pedaço" do Raúl.

Luis Eme disse...

foi tudo isso, Rosa.

é estranho mas é a morte que engrandece as pessoas...

Luis Eme disse...

claro que é uma ofensa, Tulipa, ao amor...

Luis Eme disse...

e conheceu-o pessoalmente, num ambiente simples e acolhedor, Observador...