terça-feira, junho 10, 2008

Que Europa é Esta?

Podia falar do Sol, da Selecção, deste feriado com tantos adjectivos, mas não.

Vou falar desta Europa, presidida por um português manhoso, que segundo as notícias televisivas, aprovou o aumento das horas de trabalho semanais na União Europeia para sessenta e cinco.
Ou seja, não há dinheiro mas há mais trabalho, mais escravidão, em prol deste capitalismo selvagem, dos gestores de ordenados milionários, cartões de crédito, carros de gama alta, apartamentos de luxo, casas de férias, etc, com umas migalhas para os trabalhadores.
Estive a fazer contas, para se cumprir 60 horas semanais de trabalho, temos de trabalhar dez horas por dia, de segunda a sábado.
Se isto avançar mesmo, começa a ser uma vergonha, ser Português e ser Europeu.

O boneco é do sempre genial, António.

14 comentários:

Maria P. disse...

Soube da noticia à pouco, mas ainda não quero acreditar...

Beijos,Luís M.

EMALMADA disse...

Os governantes agora deixam de ser da nação para serem agentes do refinado capitalismo.
Esse português que está na Europa faz o que o mandam fazer.
Por cá os governantes fazem também o que lhes mandam fazer os donos do dinheiro, que está nas mãos de poucos.
Vivemos tempos de nova ditadura, a Ditadura do dinheiro.

Jorge Pessoa e Silva disse...

Até o dia em que alguém vai começar a gritar "basta" e outro começar a cantar "venham mais cinco". Até o dia em que esse grito for tão profundo que já não tem recuo possível...

Cris Caetano disse...

Há algum tempo li ou vi uma reportagem que falava da qualidade de vida em países de 1º Mundo, e era sobre a Holanda ou a Dinamarca; onde pais tinham trabalhos em part-time e podiam usufruir o restante do seu tempo em família, cuidando dos filhos. Bem, essa possível decisão vai ao contrário do que se considera qualidade de vida. Vou torcer pra que seja apenas uma idéia de jerico.

Beijinhos

OBSERVADOR disse...

Eles vivem.
Nós sobrevivemos.
Até quando?
Está nas nossas mãos.

alice disse...

quanto a mim, infelizmente, esta situação só tende a piorar e cada vez será maior o fosso entre ricos e pobres :( oxalá eu me engane! um beijinho.

Rosa dos Ventos disse...

Acabei de ler no jornal!
Mas isso será possível?!

Abraço

Luis Eme disse...

já não digo nada, M. Maria Maio...

Luis Eme disse...

é isso mesmo, "Em Almada", estamos em plena ditadura do dinheiro...

Luis Eme disse...

e as coisas começam a ficar complicadas para os socráticos...

o estado de graça tem os dias contados, Jorge.

Luis Eme disse...

o resto do mundo pertence ao terceiro patamar, Cris...

nunca pensei que fosse possível andar-se tanto para trás, como nos últimos anos...

Luis Eme disse...

pois está, Observador...

depende de nós...

Luis Eme disse...

se deixarmos, Alice...

Luis Eme disse...

parece que já não há impossíveis, Rosa...