quinta-feira, fevereiro 28, 2008

Um Poema para Edgar...


Edgar, é um nome que se mistura com o de Alexandre, Castanheira, o poeta, o professor, o político, o associativista, o operário, já para não falar das mil e uma ocupações que teve, durante os quinze anos, que passou na clandestinidade, ao serviço do PCP, onde foi um dos seus principais dirigentes (no final da década de cinquenta, princípio de sessenta).
Hoje Edgar faz oitenta anos. Tal como o seu irmão gémeo, Alexandre. Para ambos o meu aplauso e um poema:

Olhas o Rio

Olhas o rio com ternura,
Sentado, junto ao cais...

Foi daqui que partiste,
Para uma viagem
Quase sem destino...

Depois foram anos de luta,
Quase sempre “escondido”
No porão da barca vermelha
Que navegava de terra em terra,
Em busca da Liberdade sonhada...

Olhas o rio com saudade,
Sentado, junto ao cais...

Foi daqui que partiste...

Luís Milheiro


O desenho que acompanha o texto é da Ligia e faz parte do livro "Almada e a Resistência Antifascista", da minha autoria.

6 comentários:

Maria disse...

Obrigada, Luís, mais uma vez.....

Beijinho

Maria P. disse...

Muito bonito.Mesmo.

Beijinho*

OBSERVADOR disse...

Ambos estão de parabéns.
Sempre, e não só no dia de aniversário.

Luis Eme disse...

Eu é que agradeço, em nome do Alexandre, do "Edgar" e da minha pessoa, Maria, Maria Maio e Observador.

abraços

Cris Caetano disse...

Eu ainda não conhecia o teu lado poeta. É muito bonito, Luís. Eu adoro poesia, e no momento me percebo gostando mais dos que tem uma linha melancólica e arrebatadora (é uma fase), mas normalmente gosto de estilos diversos.

Abraços

Luis Eme disse...

Há sempre algo por descobrir, de cada um de nós, Cris...