quarta-feira, julho 11, 2007

Orgulho, Dinheiro e Demagogia

O último boletim municipal dá vivas ao orgulho da nossa presidente, por estar à frente da Autarquia com melhor liquidez financeira, entre os 308 Municipios portugueses.
Embora não seja pessimisma, estou longe de me sentir orgulhoso com este feito, porque tudo aquilo que observo à minha volta, dá-me a imagem de uma cidade sem rumo e cada vez mais triste e empobrecida.
Gosto muito do Tejo, não sou um homem parado à beira do rio.
Conheço outras cidades que têm crescido a olhos vistos e onde as pessoas vivem melhor, apesar do cenário nacional de crise. Parece que têm dividas, mas isso não tem sido um obstáculo para a melhoria das suas condições de vida.
É por isso que pergunto, de que vale ter dinheiro em caixa, se a cidade parece estar cada vez mais próxima do abismo?
Há várias pessoas a mudarem de cidade porque o emprego quase que já não existe.
É raro o dia em que não fecha mais uma casa comercial no Concelho.
As ruas estão sujas e esburacadas, mesmo as mais afastadas das zonas de obras.
Há demasiadas casas abandonadas, nas zonas mais antigas da cidade. Em Almada, Cacilhas e Cova da Piedade, existem dezenas de exemplos de casas quase a ruirem, sem que se faça alguma coisa...
Vivo há vinte anos em Almada e digo sem qualquer problema, que a cidade está cada vez mais feia e triste.
E o Metro - apesar de todas as esperanças que se escondem atrás das suas carruagens -, infelizmente, está longe de ser a solução milagrosa para os muitos problemas que se têm avolumado ao longo dos últimos seis, sete anos na cidade...
O estado actual da cidade de Almada, é a melhor prova de que o dinheiro, por si só, não vale nada.

12 comentários:

Repórter disse...

De que serve ter o cofre cheio (se é que está) se as misérias que referiste são uma realidade, e não só por essas freguesias. O mal é geral.
O actual estado de Almada Concelho não é mais que o prenúncio do futuro. Sem chama, apagado e triste.
Esta administração faz as contas assim: não fazemos limpeza, não tapamos os buracos das ruas, não recuperamos casas nem ajudamos a fazê-lo. Por isso, a despesa diminui e o dinheiro não sai.
Que se lixe o Concelho, com o qual esta gente não tem afinidade.
E viva o faz-de-conta!

CAP CRÉUS disse...

Estou já cansado! É sempre a mesma coisa. Esta gente engana o zé povinho com essas larachas..se tem €€€ que arranje os buracos, limpe as fachadas, reabilite, faça com que varram a ruas!!
Nada como ser eloquente!
Abraço

Rosa dos Ventos disse...

Por aqui é só betão, nada de espaços verdes...e a Câmara não tem dinheiro para nada!
Mas com o mal dos outros...

Maria P. disse...

É o estado mais actual da nossas vilas e cidades - a degradação.

Minda disse...

Primeiro: parabéns por este novo visual. Está muito mais atractivo.

Segundo: a CMA apresenta "boas contas", é um facto, mas isso não é sinónimo de serviços de excelência... muito pelo contrário. Há, por aí, muitas máculas! Demasiadas até... (e aproveito para dizer que concordo inteiramente com o meu amigo Repórter).

Contudo, acho que exageras Luís. Eu conheço Almada há 47 anos (tantos quantos tenho de vida - nasci, cresci e ainda por cá moro) e mesmo com tanta coisa mal que podemos observar, não considero que caminhemos para o abismo... e nem tudo aquilo que se observa é culpa da autarquia mas resulta, também, da indiferença dos cidadãos.

Um abraço

Luis Eme disse...

Sinto uma tristeza profunda por esta gente que nos governa, não perceber, que no dia seguinte, após as eleições, são os representantes de todos os almadenses e não apenas dos da CDU, Repórter.

E é aí que começam todos os problemas...

Luis Eme disse...

É isso mesmo "Cap". Se há dinheiro, porque razão não se resolvem os problemas?

Luis Eme disse...

Eu sei que há terras piores que Almada, Rosa. E com a agravante de terem dividas atrás de dividas.

O que choca é utilizarem o dinheiro como bandeira, sem olharem para os problemas mais graves do concelho.

Luis Eme disse...

é verdade Maria, a palavra degradação pode ser utilizada de Norte a Sul.

E não apenas nas vilas e cidades... nos campos também é o que se vê, por isso é que existem tantos incêndios no Verão...

Luis Eme disse...

Claro que as pessoas são as principais culpadas. Aliás são elas que têm dado o poder à CDU, Minda...

É provável que tenha exagerado, mas não vislumbro nada de bom, nesta terra que não produz quase nada, e que apesar de afirmar aos sete ventos que tem vida própria, continua a não passar de um dormitório...

Luana disse...

Para quem não se considera pessimista, apresentas um cenário demasiado aterrador.

E se para ti Almada é uma "cidade sem rumo e cada vez mais triste e empobrecida", por que vives numa cidade que classificas "cada vez mais próxima do abismo"?

Dizes gostar "muito do Tejo" e que não és "um homem parado à beira do rio", será que te posso perguntar: que tens feito para que a imagem desta terra mude?

Sou almadense de gema, amo o meu concelho, apesar de reconhecer que a gestão autárquica da CDU não é o que aparenta ser (mais de três décadas no poder transformaram Almada numa coutada do PCP) e, por isso, revolta-me a maledicência gratuíta, rancorosa e desprovida de sentido crítico.

Quem olha para a vida com uma visão tão negativista, mais facilmente contribui para destruir o que o rodeia do que ajuda a construir uma sociedade melhor.

Âconselho-te a tentares ser um pouco mais optimista... (e isso não significa fechar os olhos às asneiras da CDU, mas apenas ver também o lado positivo desta terra e os muitos valores do seu património natural e cultural).

Luis Eme disse...

O melhor da "blogosfera" é permitir-nos ter a nossa opinião, mesmo que não seja consensual.

É por isso que digo, que o cenário sobre o qual escrevi, é real, Luana.

Lanças uma série de questões pertinentes, que tenho todo o gosto em responder-te.

Quando afirmo que Almada me dá a imagem de uma cidade sem rumo e cada vez mais triste e empobrecida (atenção que eu disse que parece cada vez mais próxima do abismo...), não significa que pretenda ou tenha de mudar de cidade. Parece-me que ainda tenho direito à minha opinião, sem ter de fazer as malas, por discordar daquilo que estão a fazer a Almada.

Quando perguntas, o que tenho feito para mudar a cidade, digo-te que tenho feito alguma coisa. Possivelmente, mesmo sem ser almadense de gema como tu, já fiz mais pela preservação dos valores históricos do concelho, que muito boa gente.

Volto a dizer-te que não sou pessimista, mas também não tenho por hábito enfiar a "cabeça na areia". ´
É mentira que quase todos os dias fecham casas comerciais no concelho?
É mentira que as ruas estão sujas e esburacadas - volto a referir, fora da zona de obras - como nunca as encontrara antes?
É mentira que há demasiadas casas abandonadas e em mau estado de conservação, nas zonas mais antigas da Cidade?

E esqueceste-te de ter em atenção que todas estas referências foram feitas segundo um contexto, sobre a qual não escreveste uma linha: Almada ter ficado em 1º lugar no ranking das autarquias com melhor liquidez financeira.

A grande questão que coloco é esta, Luana, se há tanto dinheiro, porque não se combatem os problemas mais gravosos do concelho?