segunda-feira, julho 09, 2007

Não Há Pessoas Insubstituíveis...


É comum dizer-se que ninguém é insubstituível.
Embora seja verdade, todos sabemos que existem pessoas com mais capacidade que outras, para ocuparem certos cargos. E mesmo não sendo insubstituíveis, quando saem deixam sempre um vazio, que demora algum tempo a ser preenchido.
Henrique Carreiras, até há pouco tempo, vereador do Município de Almada, com o pelouro da Protecção Civil no Concelho, é uma destas pessoas.
É por isso que acaba por ser natural, que agora que se despede das suas funções, seja aplaudido na Assembleia Municipal por todas as forças políticas que ali têm assento.
Quando se trabalha com rigor, competência e honestidade, numa área extremamente difícil e delicada, como esta, que envolve os Bombeiros, as Forças de Autoridade e a População em geral, dificilmente se passa despercebido (no bom e no mau sentido).
Não foi obra do acaso que a área ardida no concelho tenha sido das menores do país, nos últimos anos. Isto só foi possível por existir um grande espírito de entreajuda entre todas as pessoas envolvidas, muito graças à capacidade de trabalho do vereador Henrique Carreiras.
Obrigado Henrique, por tudo o que fez de bom por Almada, nos últimos vinte e dois anos, como Autarca.

O quadro que acompanha este texto é a "Poltrona" de Manuel Amado. Simboliza a cadeira da "Protecção Civil", vazia por breves instantes. Para satisfação de todos nós, era bom que ficasse tão bem ocupada como até aqui...

15 comentários:

Repórter disse...

Estive para não comentar este post, mas não resisti.
Não concordo com o Luís mas a democracia é assim.

Sobre a área ardida, ou por arder, deixo uma questão para reflexão: qual a quantidade de área por arder neste Concelho?
Parte está sob o controle da Paisagem Protegida da Arriba Fóssilda Costa de Caparica, gerida pelo ICN.
O resto é o que sabemos.

A despedida feita sob os aplausos de todas as forças políticas com assento na Assembleia Municipal, não admira. Nestes coisas, há sempre unanimidade.

E, tinha que ser, uma pergunta: qual a razão que levou o senhor presidente do Conselho de Administração dos SMAS e vereador com o pelouro da Protecção Civil a abandonar extemporaneamente as suas funções?

Maria disse...

Eu, que até ia comentar, já percebi que deve haver qualquer coisa menos clara e saio devagarinho....
É que não conheço o senhor, nem o trabalho dele....
Só registei que foi autarca 22 anos, e isso é obra...

Beijinhos

Luis Eme disse...

Há pessoas e pessoas...

Não sou amigo pessoal de Henrique Carreiras, pelo que estou à vontade para falar dele. Antes de ele ter recebido o aplauso de todas as forças politicas com assento na Assembleia Municipal, do BE ao PSD, na hora de despedida, já tinha a minha opinião formada a seu respeito.
Tenho vários amigos que o conhecem há bastantes anos e sempre lhe teceram os melhores elogios. São pessoas insuspeitas, que nem sequer pertencem ou estão perto do PCP.
Nos contactos que tive com ele ao longo dos anos, senti que ele não mudou, continuou igual a si mesmo. Ao contrário de outros políticos, que se foram tornando importantes, cada vez mais distantes do povo que os elegeu.

Aliás, só encontro paralelo a este nível, com o José Manuel Maia.

Em relação aos fogos no concelho, a Mata dos Medos não é assim tão pequena como isso. E se não têm existido fogos, isso deve-se ao ICN e também à acção dos Bombeiros Voluntários de Cacilhas, em colaboração permanente, graças ao papel do responsável da Protecção Civil do Concelho, que conseguiu colocar todas as pessoas a "remar" para o mesmo lado, o que nem sempre acontece no nosso país.

Não costumo falar do que não sei.
Segundo as informações que me chegaram, Henrique Carreiras abandonou o cargo de vereador, apenas por razões de saúde, Repórter.

Luis Eme disse...

Que eu saiba não existe nada de pouco claro neste caso, Maria.

Henrique Carreiras abandonou o cargo de vereador por razões de saúde.

Caso alguém tenha conhecimento de algo menos claro relativamente a esta saída, fale. Somos todos ouvidos, mas sem se limitar a levantar poeira...

Repórter disse...

Luís
De forma alguma quero fazer deste assunto motivo de "guerra".
Nem por sombras...
Mas vamos lá a (alguns) factos. A sua simplicidade verdadeira existiu enquanto ele foi trabalhador da Lisnave. Quando saíu, por força das circunstâncias, manteve a simplicidade e até chorava por aí fora, pelo que lhe tinha acontecido.
Avancemos no tempo e, o melhor que aconteceu, foi o terem-se lembrado dele para integrar as listas para as eleições autárquicas.
Aí, começou a ser usado, para atraír votos, dada a sua popularidade. Repára que sempre foi colocado na sexta posição las listas. Para "obrigar" o povo a votar nele e a ajudar à vitória.
Os sorrisos continuaram.
Mas, com o passar do tempo, instalou-se algum cinismo no sorriso do senhor.
Para fora sorria, para dentro falava mal.

Eu sei do que falo, Luís.
Tenho pena, mas é o que sinto.
Claro que lamento o estado de saúde do senhor (diabetes).
Mas sai, com a reforma por inteiro, enquanto outros trabalhadores que sofrem do mesmo mal, têm que aguentar mais sei lá quanto tempo para conseguir uma reforma de miséria.

E por agora é tudo.
Não interpretes isto como um desafio. Antes, como um desabafo.

Rosa dos Ventos disse...

Esperemos que sim!
Que seja bem substituído numa área tão sensível como essa!

Luis Eme disse...

Aceito o teu desabafo, Repórter.

E tem pano para mangas...

Provavelmente sabes de coisas que eu não sei. Mas como eu aprendi desde cedo, a não julgar as pessoas apenas pelo diz que disse, preferindo formar a minha opinião (mesmo que não seja a mais certa...) com aquilo que conheço e pelo que as pessoas são para mim, mantenho o que escrevi.

Pelas tuas palavras até parece que existe algum preconceito por o Henrique Carreiras ter sido um operário que chegou a vereador do Município. Acho isso só honra a classe trabalhadora.

Claro que se deixou usar nas eleições, tal como acontece com a nossa presidente. O partido sempre usou e abusou do carisma popular.

Não conheço essa faceta mais cinica de que falas, que pode existir.

Em relação ao facto de receber a reforma por inteiro, não me choca nada. A maior parte dos políticos recebem mais que ele e com muito menos anos de serviço público. E se formos a falar dos gestores públicos, que têm recebido fortunas por dez anos de serviço e a única coisa que têm feito é "enterrar" as nossas EP's, nunca mais nos calamos.

Luis Eme disse...

Vamos ver Rosa. Também espero que sim, que seja substituído por alguém com sensibilidade suficiente para tratar de uma área delicada como a Protecção Civil.

Ida disse...

Adorei a foto. Sabe a Eduard Hopper, que eu tb adoro. Qto às palavras, acho muito corajosa a tua atitude, em um meio de publicação como este que deve ser lido por muita gente de todas as vertentes políticas, assumir um elogio e uma salva de palmas. Seja ele como e quem for, há de merecer algum crédito, é sempre muito mais fácil ser estilingue (fisga) do que vidraça, como se diz aqui. E trabalhar para uma coletividade nunca é tarefa fácil nem leve, sobretudo qdo envolve injunções políticas. Tás tu de parabéns! Continua assim, tens o meu respeito e o de muitos, tenho certeza.

Repórter disse...

Luís
Não está em causa a "passagem" de operário a vereador. Nada disso.
E, no que concerne a formar conceito de uma pessoa, acho muito bem o que dizes e que mantenhas o que escreveste. faz parte da tua opinião.
Eu também julgo os outros pelo que sei e não pelo que me dizem.
E neste caso, eu sei. Muito. Demasiado, até.
Daí eu ter falado no cinismo...
Sugiro que fiquemos por aqui, no que a este tema diz respeito.
Não por ele, mas por nós e pelos que nos lêem.
Cumprimentos.

EMALMADA disse...

É para estranhar a unanimidade da oposição mesmo no aplauso da saída, o que só vem revelar o lema: "quanto mais me bates, mais gosto de ti" seguido por algumas pessoas, até pela oposição em Almada.
Já vi a oposição ou pessoas da oposição serem desancadas pelo sr. Henrique Carreiras, em local digno, só por dizerem verdades que ao senhor não agradava ouvir.
Enfim é a oposição que temos em Almada. É disto que a oposição gosta.
Por isso Almada está como está.
Só falta agora as oposições inscreverem-no como militante honorário de cada um dos partidos!

Luis Eme disse...

O Manuel Amado tem quadros fabulosos, dentro desta linha, Ida.

Daqui a poucos dias vais conhecer mais alguns, em todas as "minhas casas"...

redonda disse...

Eu li o título a pensar logo o contrário porque algumas pessoas são insubstituíveis (nem que o sejam só para nós) mas depois percebi a frase dentro do contexto e faz todo o sentido. Não conhecendo o visado fiquei com a melhor ideia dele como pessoa e autarca.

Luis Eme disse...

É a minha opinião, Redonda.

Como deves ter percebido pelos comentários, não é consensual.

Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba disse...

A foto da cadeira está muito bonita. A imagem conta-nos coisas que, mesmo não podendo ver, sabemos que existem...

Abraço,

Cristina