terça-feira, julho 04, 2006

Almada e o Teatro Capital



Entre os dias 4 e 18 de Julho decorre o 23º Festival de Almada, o maior acontecimento cultural anual da cidade, que além de a elevar a "Capital do Teatro" no começo de cada Verão, levanta sempre algumas questões pertinentes, pelo menos nas mesas dos cafés.
Embora a sua qualidade não seja colocada em causa, é pouco consensual - pelo menos entre vários agentes culturais - o preço que a Autarquia paga (são muitos milhares de euros...) para ostentar durante quinze dias o título de "Capital do Teatro". Há mesmo quem diga que a Companhia de Teatro de Almada é o nosso "clube de futebol" da Superliga...
Como se compreende, este investimento provoca um folclore político pouco habitual na cidade, porque os jornais, as rádios e as televisões atravessam o rio e vem ao espectáculo... dando voz aos políticos das "sinergias", do "desenvolvimento sustentado" e da "cidade solidária"...
Tenho alguma pena que o teatro não desça a Cacilhas, onde outrora existiu o Clube José Avelino, um clube de "finórios" que trouxe à localidade ribeirinha grandes nomes e peças do teatro português, na primeira metade do século vinte.
Recordo que o Ginjal também teve - há meia dúzia de anos - um grupo de teatro num dos barracões abandonados... quando ainda havia alguma esperança na recuperação cultural deste espaço aberto...
Para terminar esta crónica em beleza e sem polémicas, não posso deixar de aplaudir o Joaquim Benite e a sua "Trupe", quase invísivel. Eles merecem, mais que ninguém, o êxito deste festival internacional, que dura e dura há vinte e três anos, sempre com grande qualidade e diversidade na oferta de espectáculos.

3 comentários:

Costa D'Almada disse...

Gosta muito de dar uma no cravo e outra na ferradura.
A Companhia do Teatro é o nosso "clube de futebol" (gasta balúrdios) e o Benite é o "Mourinho cá do sitio" (é o número um). Deus e Diabo agradecem a sua coerência.

Luis Eme disse...

O senhor Costa podia pelo menos dar-nos a sua opinião sobre o "Clube de Futebol" e o "Mourinho". Mas não, prefere falar de Deus, Diabo e Coerência.

É mais cómodo, sim senhor.

Clara A. disse...

A Companhia de Teatro de Almada merece bem ser a nossa equipa da "Superliga" porque faz o que mais ninguém consegue fazer pela cultura almadense.
E o Benite é mesmo nosso Mourinho, acreditem.
Viva o Teatro! Viva Almada!