terça-feira, fevereiro 05, 2013

À Espera


Não era apenas eu que esperava.

As cadeiras vazias também esperavam gente com vontade de ficar por ali, a olhar o rio, como se fosse um mar, neste Inverno com Sol...

Gente que vem quase sempre de fora.

Não gosto de usar percentagens, mesmo quando sei que não se afastam muito da realidade. Quem sabia bem destas histórias com números era o empregado de mesa, que além de inglês, também "arranhava" francês, espanhol e italiano.

Sim, também há muitos italianos perdidos de amores pelo Ginjal.

Portugueses? Alguns. Quase sempre jovens.

Almadenses? Raros.

E lá veio a percentagem do empregado (sem estudos de mercado, apenas a olho) mais de 50% dos habitantes locais, nunca passearam rente ao Ginjal...

4 comentários:

Rosa dos Ventos disse...

Normalmente "Santos de casa não fazem milagres!" - provavelmente vão passar o fim de semana a passear nos mega centros comerciais ou rumam até ao Algarve!
Mas isto sou eu a especular...:-))

Abraço

Observador disse...

Os almadenses nunca apreciaram o Ginjal.
Sempre foi uma espécie de parente pobre do Concelho.

Errada forma de ver. E de estar.

elvira carvalho disse...

É amigo, santos da casa não fazem milagres.
Um abraço

Luis Rodrigues disse...

faz-me lembrar a estradinha que vai de gaia para a afurada junto ao rio, são as duas muito especiais