quarta-feira, setembro 07, 2011

O Cais do Ginjal e o Seu "Coração Novo"


Mesmo sabendo que as notícias publicadas no "Almada Boletim" valem o que valem, não pude deixar de ler com atenção a reportagem sobre o plano de pormenor que está a ser desenvolvido por Samuel Torres de Carvalho.


Embora saiba que é apenas um projecto no papel, não me parece mal.

Como não sou um entendido na matéria, fico sempre na dúvida, até que ponto é que a Câmara pode realizar um plano de pormenor em terrenos privados, obrigando os donos a cingirem-se às suas regras e planos urbanísticos...

8 comentários:

Isamar disse...

Não desgosto mas duvido que, como a "procissão" vai, haja dinheiro para financiar as obras e a respectiva expropriação de terrenos. De qualquer maneira, pese embora o meu cepticismo, que seja feito o plano. Parte do caminho está andado embora com perna curta.

Bem-hajas, Luís!

Abraço fraterno

elvira carvalho disse...

Não entendo nada de projectos, mas parece-me que nesta terra fazem-se tantos projectos que na maioria das vezes esses projectos só servem para forrar os fundos das gavetas. Para o mesmo efeito eu uso papel para presentes que é muito mais barato.
Oxalá não seja o caso.
Um abraço

C4 disse...

A apresentação do projecto realizou-se no ponto de encontro e achei bastante interessante a ideia... mas como sabe a crise não vai ajudar em nada na reabilitação desta área, veremos como corre as coisas! a imagem que apresenta no post é da janela da minha mãe... tenho um quadro pintado por ela com essa mesma janela e está lindissimo, como posso partilhar consigo?

Observador disse...

Se a realidade corresponder ao projecto, temos obra.
O pior ... bem, o pior é que "mudam-se os tempos mudam-se as vontades".

Luis Eme disse...

também eu, Isamar.

é apenas um projecto.

Luis Eme disse...

sim, Elvira.

do Ginjal conheço pelo menos mais três projectos, todos bem engavetados.

Luis Eme disse...

acho que já vi esse quadro, "C4".

estou a espera...

Luis Eme disse...

sim, Observador.

e nestes tempos de crise, mudam-se ainda mais coisas.