quinta-feira, junho 17, 2010

A Incrível na Viragem do Milénio

"Na Viragem do Milénio 160 Anos Incríveis" é o título do livro que vai ser apresentado amanhã em Almada, às 21 horas, no Salão da Incrível Almadense, por José Manuel Maia, presidente da Assembleia Municipal de Almada.

É uma obra que me é especial, pois além de ter dado a minha colaboração com vários textos, acompanhei todo o seu percurso, até o "marcar passo" de que foi vitima, que só foi ultrapassado graças à vontade e bonomia de Carlos Guilherme, o seu principal responsável, juntamente com João Cunha Dias, que realizou todo o trabalho gráfico.

Além da minha colaboração, este livro conta também com textos de Abrantes Raposo, Alexandre Castanheira, Alexandre M. Flores, Artur Vaz, Carlos Guilherme, Diamantino Lourenço, Fernando Barão, Orlando Laranjeiro, Victor Aparício, tal como de vários dirigentes da Colectividade, ligados às várias secções culturais e desportivas que a Incrível desenvolve.
Ao longo das mais de trezentas páginas, além de muitas fotografias, há artigos extremamente importantes sobre a história da Incrível, além de outros relativos à actividade associativa dos seus últimos dez anos.

Se puderem apareçam, pois além do lançamento, haverá também um espectáculo protagonizado pela Banda Filarmónica, pelo Coro Polifónico e pelo Grupo Cénico da Incrível Almadense

Como podem ver pela imagem o livro tem uma capa bonita, pintada pelo artista plástico, Louro Artur. Claro que o interior não lhe fica atrás...

6 comentários:

Maria P. disse...

Que seja um noite bonita também.

Parabéns para ti.

Beijinhos, Luís M.

Observador disse...

Uma boa iniciativa que tem, como "pano de fundo", uma agremiação que muito deu a Almada.

Rosa dos Ventos disse...

Uma Associação muito completa!
Talvez já aqui tivesses explicado o porquê de Incrível mas eu não a apanhei...
Sempre achei graça ao nome desde que conheci essa instituição há muitos, muitos anos quando vivi em Almada apenas um ano lectivo.
Tem uma história especial este nome?

Abraço

Luis Eme disse...

foi óptima, M. Maria Maio.

Luis Eme disse...

e continua a dar, Observador.

Luis Eme disse...

Incrível, porque em 1848, surgir uma colectividade fundada por operários, era mesmo Incrível, Rosa...