sexta-feira, fevereiro 05, 2010

As Manifestações Estudantis

Ontem estranhei logo de manhã a confusão de trânsito, rente à escola de Cacilhas-Tejo. Ao passar percebi, os meninos e as meninas estavam em greve, e pasme-se, queriam correr com a Alçada, que ainda há pouco tempo resolveu os diferendos entre o ministério e os sindicatos.

Estranhei ainda mais passar pela Capitão Leitão e ver o nosso principal tribuno, o vereador António Matos, de megafone na mão, a incentivar a luta dos estudantes.
Afixaram umas tarjas nos Passos do Concelho, numa diziam que queriam acabar com os exames nacionais (pudera, era muito melhor passar sem ter de estudar, isso todos sabemos...) e também contra a privatização do ensino público. Esta ainda me deixou mais perplexo, porque tirando o ensino superior, não me parece que o ensino obrigatório possa ser privatizado. Claro que sempre existiram colégios particulares, não é coisa de agora.
O que ainda é mais caricato é assistirmos a reportagens televisivas, em que se percebe claramente que muitos daqueles miúdos não sabem o que estão ali a fazer, nem quais são as suas reivindicações. Embora isto também se passe em muitas manifestações de gente crescida...

10 comentários:

Observador disse...

É por isso (e não só) que eu disse, há umas semanas, que o problema do ensino estava longe de poder considerar-se resolvido.

Há alunos que nem sabem do que se trata.
Não há aulas. Esse é um pretexto para que qualquer um vá para onde lhe disser que vá.

E continua a haver mão do Mário Nogueira nesta coisa...

Rosa dos Ventos disse...

Um vereador de megafone na mão?!
Isto é o que se chama "isenção"...

Abraço

CAP CRÉUS disse...

Adoro ouvir esses putos ignorantes a falar para as televisões. Não sei se deva sentir pena, se deva chorar de rir, se chorar de tristeza!

Maria P. disse...

Por vezes "usam" esses miúdos, enfim...

Bjs, Luís.

EMALMADA disse...

Sempre há vereadores capazes de tudo.
É tudo, também, só uma questão de ética, saber honrar os cargos,dignificar as funções que se exercem, saber o que se está a fazer, respeitar os eleitores, saber respeitar-se e respeitar as crianças e os encarregados de educação.
Sobretudo não se aproveitar da ingenuidade dos miúdos, para os manipular e tirar daí dividendos políticos.

Quando se perde a noção comum, do bom senso, dá isto...infelizmente.

Já sabemos do que a casa gasta!
Por isso mesmo, Almada é que o está à vista.

Luis Eme disse...

é uma pena que as coisas estejam assim, Observador.

espero que haja mais firmeza no ensino, pois a educação é fundamental para todos nós.

Luis Eme disse...

exactamente, Rosa...

Luis Eme disse...

devemos ter pena, Cap, até por termos filhos...

Luis Eme disse...

muitas vezes, M. Maria Maio.

quando somos jovens queremos é "caldeiradas".

pensar não é o nosso desporto favorito.

Luis Eme disse...

há de facto a tentativa de retirar dividendos politicos, "Em Almada", em todas as manifestações.

infelizmente é algo recorrente no nosso país, não é apenas um fenómeno almadense.