terça-feira, novembro 03, 2009

O Natal à Espreita

Passei ao começo da tarde pela praça S. João Baptista (centro de Almada) e já estavam a começar a montar as decorações de Natal.

Num tempo de crise, poderiam muito bem atrasar uns quinze dias a ligação das luzes na Cidade.
Embora não faça ideia dos custos diários destas instalações, não resisto a perguntar: quantas pessoas que vivem com dificuldades poderiam ser auxiliadas com o dinheiro gasto em energia, antes do tempo?


8 comentários:

Rosa dos Ventos disse...

É um absurdo o dinheiro que as autarquias gastam nessas iluminações.
Concordo contigo!
Só deviam ser ligadas as luzes 15 dias antes do Natal, por exemplo.Mesmo assim até 6 de Janeiro ainda era bastante tempo.
O comércio tradicional e o coração das pessoas também precisam de luz! :-))

Abraço

Lúcia disse...

São os comerciantes que acham que assim revitalizam o comércio.
Não acredito que dê muito resultado, mas...

Beijos, Luís

Observador disse...

Estranho que as iluminações sejam feitas, todos os anos, pela firma Castros, de Espinho.
Grande negócio!

Concordo contigo quanto ao mais que desejável atraso no começo das mesmas.
Surtiam o mesmo efeito com custos menores.

CNS disse...

Mas a luz na casa das pessoas necessitadas não se vê. E o que não se vê nestes tempos de imagem instantânea, infelizmente não interessa...

um abraço

Luis Eme disse...

eu também acho, Rosa, mas...

Luis Eme disse...

os comerciantes agarram-se a tudo, menos à imaginação e à criatividade, Lúcia...

Luis Eme disse...

tem o exclusivo, Observador, é como o homem das esculturas de ferro...

Luis Eme disse...

pois não, Cristina...