terça-feira, dezembro 09, 2008

«O Diabo Anda à Solta!»

Era esta a expressão da minha avó, neste dias ventosos, em que quase tudo dança à nossa volta, com violência.
Nesse tempo, eu, ainda pequenote, sorria e espreitava o vento, mas do demónio nem sinal. Era invisível, feito de uma massa parecida com a de Deus, que também não gosta de se mostrar, embora esteja em toda a parte...

Nestes dias está-se bem é em casa, como eu neste momento a ouvir os Clã, já no "sorriso de Gioconda"... onde também há um amante furtivo.
«Para quem sorri Gioconda? Está tão longe e tão perto...», pergunta a Manuela Azevedo, uma das vozes que mais gosto de ouvir cantar em português... e agora já está noutra canção, a dizer-me: «deixa que o amor se entranhe na terra seca do coração», isto tudo, com «o ritmo do mar», imaginem só.
Deu-me para aqui, porque o diabo, dizem, que anda por aí à solta...

10 comentários:

Cris Caetano disse...

Belíssima inspiração o demo te deu.

Beijinhos, Luís

Maria P. disse...

E esta?

Beijos, Luís M.

Lóri disse...

Meu querido guardador,

nem imaginas a minha alegria quando, em uma manhã de engarrafamento, na ida para o trabalho, ouço na radio Paradiso (que tem como eixo não só oferecer boa música mas falar sobre cinema, música, artes em geral) um comentário sobre um autor antigo, que faleceu este ano, e era considerado brega, ou seja, algo como diriam no Norte "parolo" ou fora de moda, sei lá, e que este autor estava se tornando cult, não só para os nossos intérpretes, mas também para "os chiques e modernos portugueses do Clã" e a seguir, ouve-se a tal canção gravada pelos vossos chiques e modernos músicos.

Eu quase abri a janela para gritar, ei! percorram o dial e ouçam os meus portugueses!

Pq aqui, diferentemente de aí, é ocasião para fogos de artifício quando se ouve o que quer que seja de música portuguesa em locais públicos ou rádios.

Beijos modernos e sonoros!

Lúcia disse...

O aconhego da música em tardes de ventania! Tão boommm...

Beijinhos

Luis Eme disse...

aconteceu, o "vendaval" tem destas coisas, Cris...

Luis Eme disse...

saiu. lembrei-me da expressão da minha avó e estava a ouvir música. foi tudo em directo, M. Maria Maio...

Luis Eme disse...

que bom, sentir-te tão portuguesa, Lóri...

Luis Eme disse...

tens toda a razão, Lúcia, que aconchego...

ivone disse...

"Talvez sorria para alguém
Escondido ao fundo da sala
Aquele amante furtivo
Que planeia roubá-la
Não sei se sorri para longe
Para lá do mal e do bem
Será que sorri por sorrir
Um sorriso para ninguém"


porque também gosto dos clã
mesmo em dias sem ventania

Luis Eme disse...

eu também, Ivone, sempre.

gosto muito da maneira como a Manuela cola a voz às músicas.