sexta-feira, dezembro 26, 2008

A Crise Desapareceu...

Não me venham falar de crise, nos tempos mais próximos.

Não vi as lojas com menos gente na segunda quinzena de Dezembro. Então nos últimos dias antes do Natal, as filas aumentaram de uma forma considerável, assim como a circulação automóvel, provocando congestionamentos onde menos se esperava...
No dia de Natal fui almoçar às Caldas da Rainha. Há muito tempo que não apanhava tanta confusão de trânsito no garrafão da Ponte 25 de Abril, a um feriado. O mesmo se passou na A 8, onde encontrei mais trânsito que num dia de semana, normal.
Espero que a crise tenha mesmo fugido, não esteja apenas escondida por ser Natal...

10 comentários:

Maria disse...

Pois de trânsito não sei, mas pelo comércio daqui a crise sentiu-se, sim...

Beijinho, Luís

Rosa dos Ventos disse...

A crise não é igual para todos...
Mas também há quem caminhe alegremente para o endividamento total!
Salvem-se as aparências.

Abraço natalício

Observador disse...

O crédito ajuda.

Vejamos o que se passa com o "reveillon".
Tudo esgotado, aquém e além mar.
E, o mais engraçado, é que o mais caro esgota mais depressa.

Gente fina e crise sim mas ... existencial.

Maria P. disse...

É assim que brilhem as luzes, o resto vem depois...
Como diz a Rosa, salvem-se as aparências.

Beijos, Luís M.

tulipa disse...

Haja a esperança que em 2009
Isso aconteça
São
As Esperanças
E os sonhos
Que nos fazem
Acreditar num Amanhã
Numa vida melhor, principalmente com Saúde.

É em forma de árvore-pinheirinho, que brinquei com as palavras, fazendo votos de um excelente 2009.

Peço desculpa de ter chegado já depois do Natal, mas tenho 2 pessoas muito queridas muito mal, hospitalizadas; se tiver paciência de ler o meu ultimo post "Estou triste" poderá perceber o meu espírito de momento...

Mais um belo e verdadeiro texto escrito por ti. Concordo plenamente

Luis Eme disse...

por aqui, penso que não, Maria...

Luis Eme disse...

tens toda a razão, Rosa.

e vive-se muito disso...

Luis Eme disse...

muita gente fina mesmo, Observador, se calhar a brindar por mais "crises" como esta...

Luis Eme disse...

o depois como ainda não existe, não chateia, M. Maria Maio...

é uma filosofia de vida...

Luis Eme disse...

esperança nunca falta nestes tempos, Tulipa.

só que ela não chega...