sábado, dezembro 08, 2007

A Minha Florbela Espanca


Porque hoje comemora-se o aniversário do nascimento de Florbela Espanca, ofereço-vos um poema meu, escrito para a colecção "Index Poesis", criada por Ermelinda Toscano, mãe e pai dos "Poetas Almadenses". Sei do que falo, porque sou apenas tio...


Florbela,

Mulher doce e amarga

refém de palavras belas e sofridas
e também de aventuras amorosas,
fugazes e perdidas...

Mulher próxima e distante

refém de um tempo masculino
sem espaço para sentimentos
ou devaneios pintados no feminino...

Mulher apaixonada
capaz de amar perdidamente...

Mulher poema
capaz de escrever de uma forma diferente...



20 comentários:

Maria disse...

Uma mulher sofrida mas que, como dizes, amou perdidamente...
Um expoente da nossa poesia...

Maria P. disse...

Belíssimo!
...e amar-te assim perdidamente.


Beijinho e bom fim-de-semana*

Repórter disse...

Ao que dizem, Florbela terá sido uma grande mulher/escritora.

Menina_marota disse...

"Ser poeta é ser mais alto, é ser maior
Do que os homens! Morder como quem beija!
É ser mendigo e dar como quem seja
Rei do Reino de Áquem e de Além Dor!

É ter de mil desejos o esplendor
E não saber sequer que se deseja!
É ter cá dentro um astro que flameja,
É ter garras e asas de condor!

É ter fome, é ter sede de Infinito!
Por elmo, as manhãs de oiro e de cetim...
É condensar o mundo num só grito!

E é amar-te, assim, perdidamente...
É seres alma, e sangue, e vida em mim
E dizê-lo cantando a toda a gente!"

(Florbela Espanca)


Um abraço

AnaG. disse...

Muito bonito, Luís.

"Mulher próxima e distante

refém de um tempo masculino
sem espaço para sentimentos
ou devaneios pintados no feminino..."

E está quase tudo dito.

Boa semana.
Beijitos

alice disse...

gosto muito de "mulher poema" :)

um beijinho, luís. (e obrigada!)

Cris Caetano disse...

"Fecho as pálpebras roxas, quase pretas,
Que poisam sobre duas violetas,
Asas leves cansadas de voar..."


Adoro Florbela Espanca, Luís!

Bjs

Ana Patudos disse...

Florbela Espanca, mulher de palavras tristes e sentidas, carregada de emoção, de dor. Em algumas coisas me revejo nela...
Em tertúlias, já disse muitos poemas dela, e é amar assim perdidamente...
bjos
Ana Paula

Rosa dos Ventos disse...

Tenho sempre os sonetos dela por perto!

Abraço

Rosa dos Ventos disse...

Tenho sempre os sonetos dela por perto!

Abraço

Luis Eme disse...

Amou e viveu perdidamente, Maria...

Luis Eme disse...

Sim, Maria P, minha "bela napolitana"...

Luis Eme disse...

E eu acredito neles, Repórter...

Luis Eme disse...

Menina Marota, escolheste o seu poema mais popular, graças aos "Trovante"...

Luis Eme disse...

Olá Ana.

Então a menina agora só abre o blogue a convidados?

Onde está o meu convite?

Luis Eme disse...

Tu és uma "Mulher Poema", Alice...

Luis Eme disse...

Eu também Cris...

Luis Eme disse...

As suas palavras são especiais, Ana Paula...

Luis Eme disse...

E fazes muito bem, Rosa, são lindos...

Paulo Sempre disse...

"Florbela Espanca não cabe no leito do seu rio" (José Régio).

Para mim, Florbela Espanca foi uma cigarra predistinada para morte.
O destino porém...marcou-lhe os passos da vida

Abraçocv