sexta-feira, fevereiro 23, 2024

"Reservado", o destino mais popular em Almada...


Provavelmente sou eu que tenho azar, mas sempre que decido utilizar os transportes públicos, fico na paragem a ver passar autocarros (e "metros" também...).

Normalmente ando a pé na Cidade. Mas quando tenho de me deslocar para qualquer freguesia do Concelho vou de carro. Isso acontece porque os transportes de Almada sofrem do mesmo mal, há uns vinte ou trinta anos, normalmente vêm em carreirinha (dois ou três seguidos), depois de durante largos minutos não passar um único autocarro pelas paragens.

A última vez que tentei, foi ontem de manhã. Fiquei "pendurado" na paragem do "canecão", mais de vinte minutos, onde passam 15 autocarros para vários destinos. E enquanto esperava passaram seis autocarros cujo destino era "Reservado", na direcção da Cova da Piedade. Curiosamente, ou talvez não, passarem também três "Reservado" na direcção contrária (para Cacilhas...). Ainda não eram 11.30 horas, mas há sempre a possibilidade dos motoristas da "Carris Metropolitana" almoçarem cedo...

Uma viagem que fazia em 15 minutos de carro, foi percorrida em 60 em transportes públicos...

Com estes modelos de funcionamento, é muito difícil tirar os transportes próprios das estradas...

(Fotografia de Luís Eme - Cova da Piedade)


domingo, fevereiro 18, 2024

A Reportagem é (naturalmente) diferente do Ensaio...


Comprei a revista "Sábado" esta semana porque a capa me deixou curioso, graças ao título maior, dedicado à "fantástica saga da Família Theotónio Pereira".

Embora conhecesse a "saga", pensei que poderia aprender mais alguma coisa, com a leitura. 

Compreendo que a reportagem tenha enveredado pelo "fantástico", até porque percebe-se que o objectivo era elevar esta família, sempre fiel ao Estado Novo (o arquitecto Nuno Teotónio Pereira foi a excepção que confirmou a regra...). Não é por acaso que todos os testemunhos são de familiares.

Almada é devedora da família, tal como a família é devedora de Almada, pois foi na nossa Banda que ela cimentou os seus negócios do vinho, do azeite e do vinagre. E sim, penso que Luís Theotónio Pereira foi um bom presidente de Câmara.

Mas claro que não foram tão beneméritos como se diz na reportagem, ao ponto de até terem incentivado a criação da Cooperativa dos tanoeiros...

Cooperativa essa que teve de fechar portas por falta de trabalho, pois os empresários do Ginjal decidiram comprar os seus tonéis e pipas nas fabriquetas do Norte do País, e não no Ginjal. Na época não estavam a achar muita piada ao "crescimento" da Cooperativa...

O livro de Romeu Correia, "Os Tanoeiros", explica muito bem a aventura dos cooperantes e o papel nocivo dos "patrões" do Ginjal...


terça-feira, fevereiro 13, 2024

Gostava tanto de ter motivos para dizer bem...


Não tinha previsto que o "Casario" se fosse tornando um espaço quase de "má língua", mas a realidade é o que é, mesmo que se deixem os óculos em casa.

Vínhamos a caminhar pelos passeios, cada vez mais esburacados, quando o Chico disse que os tipos da "junta" tinham andado com um spray amarelo a assinalar a falta de pedras da calçada (coisa que já deve ter sido feita há mais de um ano), esqueceram-se foi de passarem pelas ruas nos dias seguintes para as repor e colocar no sítio...

Como não sou uma "alma caridosa" como o Chico, disse que era mais provável que tivesse sido algum almadense a "pintar" os buracos, para chamar a atenção de peões desatentos, que algum funcionário das autarquias locais.

O meu companheiro já não conduz, pelo que não sabe o que se passa nas estradas, em que esta bendita chuva alarga as "crateras" e cria quase "facas" em redor das tampas das sarjetas. Mas os olhos não enganam, quando atravessamos a estrada e ele acrescentou que estava tudo uma "lástima"...

Foi quando chegámos à conclusão que a Presidente de Câmara e respectivos vereadores (tal como a Presidente de Junta e vogais...), devem deslocar-se de helicóptero em Almada e não de carro (lá estamos nós a dar-lhes ideias...).

(Fotografia de Luís Eme - Almada)


sexta-feira, fevereiro 09, 2024

A liberdade colectiva e a "política asfixiante" socialista...


O problema dos blogues (e de quase tudo que não é uma obrigação), é que se deixarmos de escrever por uns dias, não temos grande vontade de regressar.

Posso sempre dar a desculpa, de continuar mais distante das questões locais que noutros tempos.

Mesmo assim, é impossível deixar de ligar aos desabafos de amigos, sobre a continuidade da "política asfixiante" socialista, sobre aquilo que continua a não dominar, como é o movimento associativista (nem sequer se dão ao trabalhar de fingir que apoiam, simplesmente não apoiam...).

Pensava que já tinha passado essa "febre" de destruir tudo o que parecesse "vermelho" (pois é, pode ser encarnado, como o Benfica...), mas parece que não.

Só posso lamentar esta perseguição à liberdade individual e colectiva, por parte de quem governa Almada, o que é muito pouco, eu sei...

Perseguição essa, que acaba por se reflectir na Cultura e no Desporto que é oferecida aos Almadenses.

(Fotografia de Luís Eme - Almada)


quarta-feira, janeiro 17, 2024

"Fernando Barão a SCALA e as suas Gentes"

Mesmo que nem sempre seja evidente, há algum grau de loucura quando pensamos em fazer coisas um pouco fora do habitual.

Foi o que aconteceu com a exposição que será inaugurada no sábado, na Sede/Galeria da SCALA, de homenagem a Fernando Barão.

Pensámos que por se comemorar o seu centenário era giro reunir 100 imagens que pudessem documentar a passagem do Fernando por esta Sociedade Cultural que ajudou a fundar. Só quando começámos mesmo a procurar, a escolher, é que percebemos que as coisas nunca são assim tão simples...


terça-feira, janeiro 02, 2024

Fernando Barão faz cem anos


Um dos meus melhores amigos de Almada faz hoje cem anos. 

Embora já não esteja por cá para festejarmos este número redondo (falhou por menos de quatro anos...), Fernando Barão merece ser homenageado e recordado, por tudo o que nos deu. Foi por isso que criei um blogue para ele, Fernando, o "Barão de Cacilhas", onde irei recordar um pouco do que foi a sua vida, enquanto grande Associativista e Homem das Culturas, do nosso Concelho.

Se vos apetecer passem por lá...

(Fotografia de Luís Bayó Veiga - na nossa Incrível)


quinta-feira, dezembro 28, 2023

A importância de manter vivo o "jovem" que está dentro de nós...


Há pessoas que podem envelhecer fisicamente, mas nunca deixam fugir o jovem que continua bem vivo dentro deles.

E ainda bem, Se puderem, continuam a ser criativos, como é o caso de uma mulher que tem a idade da minha mãe e que continua com tanta poesia dentro de si.

Estivemos alguns minutos juntos antes do Natal. Não deu para meter toda a conversa em dia, mas mesmo assim, foi bom. Até porque ela presenteou-me com as suas últimas criações, que são um excelente exemplo de poesia ilustrada.

É também por isso que desejo que a Clara continue, sempre, com esta vontade de criar...

(Fotografia de Luís Eme - Almada)


sexta-feira, dezembro 22, 2023

Um dos nossos flagelos sociais mais visíveis...


Um dos problemas sociais crescentes no nosso país é o aumento de gente sem-abrigo, ou seja, pessoas que vivem nas ruas. Uma boa parte destes novos "filhos da rua" são estrangeiros e adoptaram uma nova forma de se viver, com mais privacidade, usando pequenas tendas de campismo que montam em qualquer lugar, principalmente na Capital.

Também se nota um aumento de gente a viver na rua no Concelho de Almada. Gente quase sempre de fora. Muitos ocupam edifícios abandonados (o Ginjal continua a albergar dezenas de pessoas, o Caramujo menos, porque algumas das instalações onde pernoitavam foram "terraplanadas" e também foram colocadas redes em volta...).

Não se nota que os governos (locais e nacionais), tomem medidas para combater este flagelo (se é que isso é possível). Continua a ser a sociedade civil, através de várias instituições, que lhes oferecem alimentos e roupas, para que consigam sobreviver nesta "selva urbana".

No Caramujo existem também tendas (como as da fotografia...), penso que sejam dos romenos que viviam no espaço camarário que foi terraplanado e acamparam ali mesmo ao lado.

É complicado fazer uma análise crítica sobre a acção dos nossos governantes, quando muitas destas pessoas cultivam alguma marginalidade muito própria, não querem ter de dar satisfação a ninguém da forma como vivem, por muito miserável que seja...

Não sei se na nossa Margem organizam jantares de Natal e oferecem "prendinhas" a estas pessoas, como fazem em Lisboa (mesmo que cheire muito a hipocrísia e seja mais um produto televisivo, onde nem falta o Presidente da República, para compor o ramalhete). 

Espero que se for oferecido algum apoio, seja algo mais sustentado, que permita ser Natal mais que uma vez por ano...

(Fotografia de Luís Eme - Cova da Piedade)


sexta-feira, dezembro 08, 2023

Eu sei que os "buracos" das ruas são um pouco pequenos para que uma senhora deputada, entre e fique por lá, mas...


Eu sei que as palavras não têm nada a ver com "buracos", até por este tipo de "buraco", estar mais próximo do surrealismo e das piadas foleiras (que quem exerce cargos políticos devia evitar...), que da realidade. 

Refiro-me ao aviso que Beatriz Ferreira (deputada municipal do PSD), deu aos militantes do seu partido, para "terem cuidado com as carteiras". Isto aconteceu durante a recepção aos militantes no  congresso dos sociais democratas, que se realizou no nosso Concelho (até teve a visita da nossa mais famosa "múmia política" que, felizmente, não ficou para jantar, pois prefere as refeições da sua "Maria" à gastronomia da Margem Sul...). 

Não satisfeita, e em vez de perceber que tinha ido longe demais (deu a entender que Almada é uma "terra de ladrões"...), a senhora deputada municipal resolveu justificar as suas palavras com dados estatísticos, afirmando que o nosso Concelho é o que tem maior índice de criminalidade do distrito de Setúbal. 

Quase que me apetecia responder-lhe com outra piada foleira e dizer que provavelmente há mais gente com vontade de "roubar carteiras" no seu partido que em Almada, mas não vale a pena...

(Fotografia de Luís Eme - Almada)


quinta-feira, dezembro 07, 2023

Eu sei que a culpa é da chuva (mesmo que cada vez chova menos)...


Já escrevi aqui sobre os "buracos" das ruas de Almada.

Não tenho voltado a este tema, para não me estar sempre a repetir. Mas assim se aproxima o Inverno, as coisas tornam mais visíveis e não consigo "fechar os olhos", enquanto atravesso as ruas (nem devo, até por ser perigoso)...


Estes três buracos que aqui trago fazem parte das imediações da praça Gil Vicente, em duas passadeiras - para que se evitem, entre outras coisas, os "sapatos de tacão alto" - e no começo da avenida D. Afonso Henriques...

O mais curioso, é que estes "buracos", também têm a ver com o PSD, que quer ser governo. Segundo as minhas contas  os "buracos" estão ligados aos seus pelouros na coligação que dirige Almada.


Ou seja, em Almada não podem dizer que a culpa é do PS (ou só do PS...), pois também fazem parte da "gerigonça almadense"...

(Fotografias de Luís Eme - Almada)


sexta-feira, dezembro 01, 2023

Mais uma coisa pouco compreensível em Almada (a somar a dezenas)...


Só ontem é que reparei que a Pista de Atletismo da Sobreda tinha recebido o nome de alguém, e que agora se chamava "Pista de Atletismo Alberto Chaiça".

Durante anos foi apenas a "Pista de Atletismo da Sobreda", porque quando foi construída, apesar de haver um nome que se destacava de todos os outros, em termos de currículo atlético (Francisco Bastos, que foi campeão nacional mais de uma dezena de vezes, campeão ibérico e recordista nacional de várias corridas, dos 400 aos 3000 metros), havia quem também quisesse atribuir à pista o nome de Almerinda Correia, que embora tivesse sido uma boa atleta (campeã nacional de lançamentos), beneficiou do fraco nível do atletismo feminino. E foi assim que a pista acabou por ficar sem patrono...

Embora não tenha nada contra Alberto Chaiça que foi um excelente fundista, com uma participação olímpica na maratona, não está sequer no "top 3", em termos curriculares, de atletas do Concelho. E além disso foi sobretudo um corredor de provas de estrada, e por isso, nem fazia muito sentido atribuir-se o seu nome a uma pista...

Depois de passar pela pista, fiquei perplexo e senti logo que havia por ali qualquer coisa, no mínimo, injusta. Lembrei-me logo do Chico Bastos, embora reconheça que agora seria mais justo atribuir o nome a uma mulher que ainda está entre nós (se é que seguiram essa premissa...). Foi por isso que me recordei da Naide Gomes, que é a grande campeã da Margem Sul (a par da Carla Sacramento, embora esta pertença ao Seixal...).

Naide Gomes foi campeã Mundial de pista coberta de pentatlo e do salto em comprimento. E foi também bi-campeã europeia de salto em comprimento. Além de ter sido recordista nacional do salto em comprimento, do pentatlo e do heptatlo e campeã nacional várias vezes.

Alberto Chaiça, se foi campeão nacional, foi apenas na maratona. E nunca bateu qualquer recorde nacional, nas chamadas disciplinas olímpicas.

Se há um atleta (neste caso, uma...) que merecia dar o seu nome à pista de atletismo, é Naide Gomes.

É apenas mais uma coisa pouco compreensível, a somar a muitas que se passam neste concelho...

(Fotografia de autor desconhecido)


sexta-feira, novembro 17, 2023

Não é bem assim (mas é quase...)


Na noite de amanhã os UHF vão dar mais um concerto no Salão de Festas da Incrível Almadense, uma sala carismática da música moderna portuguesa que usa mais "metais" e "eletricidade".

O Cartaz do concerto é bastante elucidativo, informa que "o rock nasceu em Almada". Embora possa parecer um exagero, ninguém pode negar que a Margem Sul é bastante importante na divulgação e popularidade do rock português, com a proliferação de bandas de garagem (e de barracão...) e de músicos que rapidamente entraram no "clube dos virtuosos".

(Fotografia de Luís Eme - Almada)


terça-feira, novembro 14, 2023

Sim à Paz no Médio Oriente (e uma dúvida)


A única coisa que me deixa dúvidas é a "Rua do Ginjal" (que desconheço) de resto estou completamente solidário com o fim à agressão a Gaza e desejo a Paz no Médio Oriente (e na Ucrânia, que está a ficar esquecida...).