domingo, fevereiro 19, 2012

Sempre o Ginjal...


No lançamento dos meus livrinhos, excelentemente apresentados pelo prof. Vitor Alaiz, a mesa esteve muito bem composta, com a presidente do Município de Almada, Maria Emília de Sousa, o vereador da Cultura, António Matos e a presidente da SCALA, Maria Gertrudes Novais, o apresentador e eu próprio. Durante a minha intervenção li um pequeno trecho do "Almoço de Poetas do Ginjal", por homenagear três escritores Almadenses:

«[...] Mas o Tejo ainda tinha mais uma surpresa guardada para mim. Quando olhei para o rio vi o bom do Henrique Mota a acenar-me, no interior do "Ninette", barco de tão boa memória cacilhense, que se aproximava da praia. Poucos segundos depois entrou pelas portadas e ofereceu.me um abraço fraterno, o melhor dos "poemas" à amizade.
O mais curioso é que quando dei por mim, estava rodeado pelo Romeu Correia e pela Maria Rosa Colaço, poetas de Cacilhas e arredores, que também se aproximaram para cumprimentar o Henrique.
Romeu aproveitou o momento para voltar à sua meninice, passada rente às águas do rio, «de manhã e de tarde o Cais do Ginjal era visitado por bandos de fedelhos que invadiam as praias e as muralhas. Os mais pitorrinhas punham-se nus em pêlo, trazendo os mais espigadotes as ceroulas ou um trapo para ocultar o sexo.» [...]»

6 comentários:

CAP CRÉUS disse...

Parabéns!

Luis Eme disse...

grato, Cap.

Observador disse...

Parabéns, Luis.

Luis Eme disse...

obrigado, Observador (sempre presente).

Cris Caetano disse...

Duvido que sejam "livrinhos". És muito modesto, Luis... são livros! :) Parabéns!

Beijos

Luis Eme disse...

olá Cris!