quarta-feira, dezembro 21, 2011

O Ginjal Continua Preso ao Século Passado (3)


Já escrevi mais que uma vez aqui, que uma das coisas que me faz mais confusão no Ginjal é a circulação automóvel.

Como é um lugar tão "sensível", cheio de placas a avisar-nos de "perigo de derrocada" de edifícios e também dos vários cais, permite que os carros dos pescadores e afins, continuem a passear pelo paredão estreito, como se nada se passasse?

Além dos alertas que lanço por aqui, já tive a oportunidade de falar deste contrasenso a um vereador, numa sessão pública (lançamento de um livro sobre Cacilhas...), em que ele achou a critica pertinente (acham sempre...), mas continua tudo na mesma, como a lesma...

8 comentários:

Rosa dos Ventos disse...

"Tudo como dantes no quartel general, em Abrantes"!
Só com blocos de cimento a impedir a passagem é que deixarão de enfrentar o perigo!

Abraço

Observador disse...

Desconhecia esse novo local para estacionamento.

O ser humano é lixado!
Depois, se acontece algo, foi azar...

elvira carvalho disse...

Passei para desejar um Santo Natal e um ano 2012, tão feliz quanto possível. Sobretudo com muita Saúde, Paz, Amor,e sobretudo que não falte o trabalho.Esses bens vão ser preciosos nos tempos que se avizinham. Tudo de bom para si, e família.
Um abraço e FESTAS FELIZES

C4 disse...

E agora pouca gente mora no Ginjal, mas houve muitas vezes que ao irmos para casa só pensavamos se houvesse uma desgraça, incêndio ou alguém ter que ser socorrido por uma ambulância... como passariam os bombeiros? Infelizmente as pessoas não ligam aos sinais de perigo e muito menos ligam em ser cívicas!

Luis Eme disse...

sabias que antigamente era proibida a circulação de automóveis no Ginjal?

(fiz uma "posta" com uma fotografia dos anos quarenta, com o sinal de proibido)

Luis Eme disse...

sim, além do habitual comodismo, é também uma forma de se estacionar sem pagar, Rosa.

Luis Eme disse...

aproveitam todas as "baldas", Observador.

Luis Eme disse...

Tudo de bom também para ti, Elvira, e para os teus.