terça-feira, novembro 29, 2011

A Névoa do Ginjal


Quando arrefece é comum a névoa ocupar-se de algumas manhãs no Ginjal.


Invariavelmente, próximo do meio dia, o Sol aparece e volta a aquecer as ruas, as margens do rio, e claro, a alma da gente, que passa rente ao cais...

8 comentários:

Observador disse...

Uma "sombra" na cidade?

Rosa dos Ventos disse...

Quando as almas não estão ainda mais enevoadas do que o rio...

Abraço

Maria disse...

Lembra o nevoeiro matinal na nossa Foz...
A fotografia é linda!

Beijinho, Luís.

Cris Caetano disse...

Parafraseando a Maria... lembra o nevoeiro matinal no meu Douro...

Beijinhos, Luis.

Luis Eme disse...

eu diria, uma viagem em busca de D. Sebastião, Observador. :)

Luis Eme disse...

pois, Rosa.

Luis Eme disse...

pois lembra, Maria, mas falta a maresia...

Luis Eme disse...

sim, ai é mais parecido, Cris.