domingo, outubro 10, 2010

Intensamente

Se há algo difícil de explicar, é a poesia, toda, inclusive a da vida.

Sensibilidades, gostos, leituras e olhares diferentes, fazem toda a diferença...

Na quinta-feira foi lançado um caderninho de poemas da autoria de Anyana e Alberto Afonso, do qual escolhi uma parte de um poema de Alberto Afonso, que fala disso:

[...]

Como explicar a quem não o sinta,
A quem não o veja com o nosso olhar...
E possa sentir
O cheiro da maresia ou
A alegria das crianças esbracejando
Nas águas límpidas do rio,
Que nos transporta à nossa infância,
A lugares já desaparecidos
Que fervilhavam de humanidade e labuta,
Que só em sonho se conseguem vislumbrar!

[...]

Pois, há coisas que não se explicam, sentem-se...

6 comentários:

Rosa dos Ventos disse...

Exactamente, sentem-se e intensamente!

Abraço

Observador disse...

Plenamente de acordo, Luis, há coisas que não se explicam, sentem-se.

Cris Caetano disse...

Concordo totalmente, e cada um sente a sua maneira, interpreta de acordo com a emoção do momento. É disso que mais gosto na poesia.

Beijos, Luis

Luis Eme disse...

intensamente, Rosa.

Luis Eme disse...

sem dúvida, Observador.

Luis Eme disse...

eu também, Cris, permite sempre uma leitura pessoal...