quinta-feira, junho 13, 2013

O Tejo e o Fernando


Hoje é dia do António, Santo, casamenteiro e "partidor" de bilhas, mas também do Fernando, que foi muitas "pessoas", na nossa literatura.

Muitas vezes penso se o Fernando vinha ou não com alguma frequência a Cacilhas, se petiscou qualquer coisita nas tascas que antecederam os restaurantes do Ginjal ou se apenas se ficou pelos seus retiros lisboetas.

Se veio e ficou por ali, rente ao cais, à procura de golfinhos ou até de sereias, só ficou a ganhar, provavelmente até algum poema... 

O óleo é de João Beja.

8 comentários:

elvira carvalho disse...

Tenho para mim que não deixaria de ir. Aos olhos de um poeta, a outra margem é um forte chamamento.
Um abraço

Rosa dos Ventos disse...

Claro que foi! :-))

Abraço

Cris Caetano disse...

Claro que sim... :) O óleo é uma belezura.

Beijos, Luis

Luis Eme disse...

concordo, Elvira.

embora ele fosse um poeta especial, viajava muito com a imaginação. :)

Luis Eme disse...

tanta certeza, Rosa.

tenho de me render. :)

Luis Eme disse...

olha, a Cris também viu o Fernando (ou terá sido o Ricardo ou o Alberto, ou ainda o Álvaro?) na Outra Banda. :)

Cris Caetano disse...

:)

Luis Eme disse...

:))