terça-feira, março 12, 2013

O Tempo dos Contentores


Ainda não escrevi sobre esta coisa feia e estúpida que querem colocar na Trafaria, por onde passei ao fim da tarde de domingo. 

Nem tão pouco sei se é uma acção com pés e cabeça, ou apenas mais uma "mania" destes governantes, que têm tanto de incompetente como de insólito.

Se a maior parte das mercadorias tiver como destino a margem norte do Tejo, faz algum sentido colocar mais um conjunto de monos na Outra Banda, que depois terão de atravessar o rio, pela sempre congestionada ponte 25 de Abril?

Eu sei que esta gente nem as pensa. Quando me lembro do aeroporto da Ota, está tudo dito. Andámos quase vinte anos a navegar no erro e deitar dinheiro fora...

Aliás, o segredo da poupança dos tais quatro mil milhões, está mesmo no fim do desperdício feito por esta gente que se governa e alimenta tantos escritórios e ateliers  de advogacia, economia, arquitectura, etc,  bons a fazer estudos disto e daquilo, que normalmente apenas servem para lhes encher os bolsos de euros...

6 comentários:

Luis Rodrigues disse...

Em todas as cidades com rio, um lado é o pobre, o outro o rico.

Dum lado põe-se o que é fino, por exemplo a fundação champalimaud, do outro o que é lixo, daí os contentores.

É normal.

CAP CRÉUS disse...

O que os leva a pensar que podem tomar tais decisões, por nós?
É como o acordo ortográfico. Porquê? Eu não os mandatei para tal trapaça!

Rosa dos Ventos disse...

Quando ouvi a notícia pensei logo no que pensarias disto e não me enganei! :-))

Abraço

Luis Eme disse...

eu não acho normal, Luís, mas quem manda deve achar.

Luis Eme disse...

boa pergunta, Cap.

Luis Eme disse...

é uma tristeza, Rosa.