sábado, setembro 08, 2012

Não Gosto de Ser Enganado


Não gosto de ser enganado. Alias, ninguém deve gostar.

Não queria  voltar a falar do primeiro-ministro mais parecido com o Salazar, que também gosta de discursar com "falinhas quase mansas" e com postura de actor dramático, dizendo que a forma do seu governo nos extorquir dinheiro é a única existente para evitar o aumento do défice e a subida do desemprego. E daqui a uns meses percebemos que está tudo ma mesma, ou pior, neste Portugal, definitivamente em marcha atrás, num reino cada vez mais apetecível para o capital...

É por isso que ele vai continuar a insistir no aumento de impostos aos trabalhadores e na protecção, uma vez mais, dos patrões chupistas, que vivem bem é à sombra do Estado. E claro, esquece as famosas "gorduras" do estado, impregnadas de "boys".

A minha única felicidade ao olhar para este país (bem pequena diga-se de passagem...), é saber que nunca contribui com o meu voto para esta "cambada" que nos tem governado nos últimos trinta anos, embora tenha votado sempre. Por mim e pelos meus avós, que só o puderam fazer depois de Abril.

E nós? Vamos continuar a assistir a tudo isto, pacificamente?

6 comentários:

Observador disse...

Completamente de acordo, Luis.

Relevo a pergunta do último parágrafo e também me questiono.

Bom fim de semana.

Rosa dos Ventos disse...

Temos que acordar deste torpor...:-((

Abraço

CAP CRÉUS disse...

Dia 15 vou para a rua!
FDP!

Luis Eme disse...

pelo menos hoje saímos à rua, Observador.

Luis Eme disse...

pois temos, Rosa.

Luis Eme disse...

vamos, Cap!